Acúmulo de gás causa explosão em drenagem na cratera do Metrô de SP

Segundo a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), houve acúmulo de gás na área, que acabou explodindo durante o uso de lixadeiras na tarde de ontem (22)

Uma explosão deixou três trabalhadores levemente feridos durante a drenagem de esgoto acumulado após o acidente que provocou uma cratera nas obras da Linha Laranja do Metrô de São Paulo. Segundo a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), houve acúmulo de gás na área, que acabou explodindo durante o uso de lixadeiras na tarde de ontem (22).

Publicidade

Ainda de acordo com a empresa, os empregados sofreram escoriações e foram atendidos, estando fora de risco. “A Sabesp acompanha o caso e presta toda a assistência aos colaboradores e às autoridades”, diz a nota da companhia.

A Sabesp informou ainda que não houve perfuração de nenhuma tubulação e a Rua Barão de Pombalinho, onde aconteceu o acidente, foi liberada após inspeção.

Cratera

No dia 1º de fevereiro, o vazamento de esgoto em uma obra da Linha 6 – Laranja do Metrô, provocou um desabamento, abrindo uma cratera na Marginal Tietê, zona norte da cidade. Para conter os estragos, a concessionária Acciona, responsável pela obra, fez um trabalho de concretagem, preenchendo a cratera com material rochoso e argamassa.

A concessionária também construiu um desvio para amenizar os impactos no trânsito da região, atendendo, inclusive, as linhas de ônibus que passam pela pista. A obra emergencial foi realizada pela Acciona a partir do projeto desenhado pela Companhia de Engenharia de Tráfego (CET).

Publicidade

(Agência Brasil)