Até seu encontro com Putin russos exigiram confinamento de Bolsonaro

Com essas exigências da Rússia causou comoção no Executivo brasileiro, que mobilizou o Itamaraty a tentar reverter a obrigação de manter Jair Bolsonaro confinado

presidente-lamenta-morte-de-genivaldo-e-diz-que-havera-justica
(Créditos: Andressa Anholete/Getty Images)

Devido as rígidas regras sanitárias no Kremlin, o protocolo russo exigiu que o presidente Jair Bolsonaro (PL) continua em isolamento em seu hotel, em Moscou, até que a reunião como presidente Vladimir Putin, aconteça nesta quarta-feira (16). O presidente brasileiro desembarcou nesta terça-feira (15) com uma máscara, em uma viagem marcada por polêmicas e considerada mesmo dentro do Itamaraty como uma missão de “alto risco”.

Publicidade

Com essas exigências da Rússia causou comoção no Executivo brasileiro, que mobilizou o Itamaraty a tentar reverter a obrigação de manter Jair Bolsonaro confinado até amanhã, o dia do encontro com Putin. Até o momento não está assegurado que a regra será cumprida ou se haverá espaço para uma negociação. o tem seria tratado ainda nesta terça-feira (15), em Moscou.

Bolsonaro em todas as suas viagens, usou o parte de sua agenda para conhecer as cidades por onde passou, além de fazer um material de promoção para sua base radical. De acordo com membros do Itamaraty, é que as exigências também acabaram levando a uma redução da equipe que o acompanharia até o país.

De acordo com o UOL, para se encontrar com Putin, as regras são bem restritas. Nem o chanceler Carlos Franças poderá entra com Bolsonaro, que estará acompanhado apenas por um intérprete. No Itamaraty, o medo é de que, sem um profissional ao seu lado, Bolsonaro cometa algum deslize diplomático ou aceite condições e propostas que possam representar dificuldades para o Brasil. Ainda no avião, Bolsonaro teve que realizar um teste para Covid-19. Outro teste será realizado entre hoje e amanhã.