FORÇAS ARMADAS

Bolsonaro fala sobre compra de Viagra pelas Forças Armadas

Bolsonaro comentou que as Forças Armadas estão sendo criticadas pela compra e afirmou não ter gostado que a imprensa noticiou o caso

bolsonaro-critica-polemica-da-compra-de-viagra-pelas-forcas-armadas
Presidente Jair Bolsonaro (Crédito: Andressa Anholete/Getty Images)

O presidente Jair Bolsonaro criticou nesta quarta-feira (13) a polêmica da compra de Viagra pelas Forças Armadas. O processo prevê a aquisição de comprimidos de 25 mg e de 50 mg de Viagra. Segundo o Ministério da Defesa o medicamento usado em casos de disfunção erétil, será usado no tratamento de militares com hipertensão pulmonar arterial (HPA), que é aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Publicidade

Bolsonaro comentou que as Forças Armadas estão sendo criticadas pela compra e afirmou não ter gostado que a imprensa noticiou o caso. De acordo com o G1, A fala do presidente foi transmitida por um deputado em uma rede social. “As Forças Armadas compram o Viagra para combater a hipertensão arterial e, também, as doenças reumatológicas. Foram trinta e poucos mil comprimidos para o Exército, 10 mil para a Marinha e eu não peguei da Aeronáutica, mas deve perfazer o valor de 50 mil comprimidos. Com todo o respeito, isso é nada… A quantidade para o efetivo das três Forças, obviamente, muito mais usado pelos inativos e pensionistas”.

Especialista ouvidos pelo G1, disseram que as dosagens previstas são inadequadas para HPA. O correto seria utilizar o comprimido de 20 mg.  Além disso, a doença não é comum e atinge mais mulheres do que homens. As Forças Armadas compraram 35 mil comprimidos  de Viagra que serão destinados 28.320 unidades à Marinha, 5 mil ao Exército e 2 mil à Aeronáutica.