Brasileiros podem ficar livres de filas na chegada aos EUA

O benefício se deve à adesão do Brasil ao programa “Global Entry”, que permite agilizar o processo de entrada no país americano

Brasileiros podem ficar livres de filas na chegada aos EUA
A exigência de visto e as regras para sua concessão continuam, esta medida não altera em nada essas obrigações (Créditos: Joe Raedle/Getty Images)

Foi informado pelo governo federal, que a partir desta segunda-feira (7) estará disponível para os brasileiros o “Global Entry”, um programa que permite agilizar o processo de entrada nos EUA, para evitar filas no setor de imigração dos aeroportos. A exigência de visto e as regras para sua concessão continuam, esta medida não altera em nada essas obrigações.

Publicidade

Para participar, os cidadãos brasileiros devem:

fazer sua inscrição na plataforma do programa;

pagar taxa de inscrição (US$ 100, não reembolsáveis);

cumprir o processo de registro e avaliação prévia;

ser aprovados pela Autoridade de Aduanas dos EUA.

Publicidade

O GE é um programa do governo americano que permite a liberação rápida no controle do passaporte, no momento da chegada aos EUA. Ele é administrado pela Autoridade de Aduanas e Proteção de Fronteiras daquele país (CBP, na sigla em inglês) e dele participam, atualmente, 11 jurisdições”, informou o governo.

“Uma vez aprovados, poderão fazer o trâmite de ingresso nos EUA em aeroportos selecionados de maneira desburocratizada, por meio de quiosques automáticos”, informou o governo.

Essa parte um pouco mais simplificada para os viajantes do Brasil nos EUA, de acordo com o governo, “estimulará contatos empresariais, interação cooperativa e turismo, fortalecendo as relações entre os dois países”.

Publicidade

Histórico

De acordo com o G1, há anos o Brasil vem negociando para poder ingressar no programa “Global Entry”, e a inclusão do país na lista de países beneficiados chegou a ser anunciada pelos presidentes Dilma Rousseff e Barack Obama, em 2015.

Já no governo do atual presidente, Jair Bolsonaro (PL), em novembro de 2019, o Ministério das Relações Exteriores brasileiro anunciou que, enfim, daria início à fase de testes. O governo publicou em março de 2020, o decreto com as primeiras regras para a adesão do Brasil no programa.

O decreto estabelece que caberá à Polícia Federal e à Secretaria da Receita Federal encaminhar “manifestação conjunta, positiva ou negativa, sobre o preenchimento dos critérios para ingresso no programa”. A Autoridade de Proteção de Fronteiras e Alfândega dos EUA, usará essa manifestação para acatar, ou não, a inscrição dos brasileiros no “Global Entry”.

Publicidade