Passa de 100 o número de mortos em Petrópolis

Ao menos 54 casas foram destruídas pelas chuvas e mais de 370 pessoas estão em abrigos improvisados

temporal-em-petropolis-deixa-66-mortos
Destruição em Petrópolis, devido à chuva forte (Crédito: Reprodução / Twitter @CarldeSouza1)

Na noite desta quarta-feira (16), a Prefeitura de Petrópolis, na Região Serrana do Rio, e o Corpo de Bombeiros informaram que passa de 100 o número de mortos após a tempestade de terça-feira (15). O Corpo de Bombeiros ainda não sabe o número de desaparecidos. Ao menos 54 casas foram destruídas pelas chuvas e mais de 370 pessoas estão em abrigos improvisados.

Publicidade

A cidade está sob a lama. Morros vieram abaixo, veículos ficaram empilhados, casas destruídas, entre outros danos. A Prefeitura decretou estado de calamidade pública e disse que as equipes de resgate foram reforçadas para ajudar as vítimas. Agentes das secretarias de Obras, de Serviço, Segurança e Ordem Pública, Saúde, Educação, além da Comdep e CPTrans também ajudaram no atendimento da população e na recuperação da cidade.

Até o momento, informações passadas pela Defesa Civil é que há previsão de chuva moderada a qualquer momento no município nesta quarta-feira (16). Em caso de emergência, a população deve ligar para o telefone 199. Além disso, outra orientação pede para que pessoas que ainda não encontraram familiares, notifiquem a delegacia.

O Alto da Serra foi uma das regiões mais afetadas. Uma barreira que caiu no Morro da Oficina atingiu em média 80 casas. Várias outras localidades também foram atingidas, tais como 24 de Maio, Caxambu, Sargento Boening, Moinho Preto, Vila Felipe, Vila Militar e as ruas Uruguai, Washington Luiz e Coronel Veiga.

O governador Cláudio Castro cancelou a agenda desta quarta-feira e foi para Petrópolis. Segundo Castro as sirenes funcionaram perfeitamente, por isso a tragédia não foi maior. Ainda o governador, disse que o o ministro Rogério Marinho, do Desenvolvimento Regional, deve chegar à cidade na sexta-feira (18).

Publicidade

O senador Flavio Bolsonaro (PL-RJ) também informou que assim que o presidente Jair Bolsonaro voltar de viagem, sobrevoará na sexta-feira (18), toda a área.  

Quanto a pontos de apoio, a Prefeitura abriu todos. Ao todo 184 pessoas estão recebendo suporte da prefeitura, que foram direcionadas para as unidades profissionais da Saúde, Educação, Agentes Comunitários, além da Defesa Civil. Há atendimentos nas localidades do Centro, São Sebastião, Vila Felipe, Alto Independência, Bingen, Dr. Thouzete e Chácara Flora. 

Já os pontos de acolhimento que recebem doações e abrigam desalojados são: Centro de Educação Infantil Chiquinha Rolla, Escola Estadual Augusto Meschick, Escola Municipal Alto Independência, Escola Municipal Ana Mohammad, Escola Municipal Doutor Paula Buarque, Escola Municipal Doutor Rubens de Castro Bomtempo, Escola Municipal Duque de Caxias, Escola Municipal Governador Marcello Alencar, Escola Municipal Odette Fonseca, Escola Municipal Papa João Paulo II, Escola Municipal Rosalina Nicolay, Escola Municipal Stefan Zweig, Escola Paroquial da Igreja Bom Jesus, Quadra do Boa Esperança Futebol Clube e Paróquia São Paulo Apóstolo no bairro de Copacabana.

Publicidade