Bombardeios em Donetsk e Luhansk

A vice-primeira-ministra da Ucrânia, Iryna Vereshchuk afirmou que novos corredores humanitários foram acordados para esta segunda-feira (11)

bombardeios-em-donetsk-e-luhansk
Soldados ucranianos (Brendan Hoffman/Getty Images)

Os bombardeios russos nas regiões de Donetsk e Luhansk seguem, com as forças ucranianas repelindo vários ataques, informou o Ministério da Defesa do Reino Unido nesta segunda-feira (11). Os ataques levam a destruição de tanques, veículos e equipamentos de artilharia russo, com a repressão ucraniana.

Publicidade

 

De acordo com a CNN, o uso feito pelas tropas russas de munições de fósforo na região de Donetsk aumentam a possibilidade do uso desse tipo de armamento na cidade de Mariupol. A disputa pelo local está cada vez mais intensa, segundo a inteligência militar britânica

 

A vice-primeira-ministra da Ucrânia, Iryna Vereshchuk afirmou que novos corredores humanitários foram acordados para esta segunda-feira (11). A evacuação será de pessoas das regiões do leste sitiadas da Ucrânia, incluindo cinco regiões de Luhansk.

Publicidade

 

Entenda o conflito

Publicidade

Desde o dia 24 de fevereiro, Vladimir Putin deu início ao conflito contra a Ucrânia ao bombardear regiões do país. A invasão contou com domínios por terra, mar e ar, após autorização do presidente russo.

Vladimir Putin não aceita que a Ucrânia faça parte da OTAN, uma aliança criada pelos Estados Unidos. O presidente não deseja que uma base inimiga seja estabelecida próxima a seu território, uma vez que a Ucrânia faz fronteira com a Rússia. Esse foi um dos estopins para que Putin iniciasse os ataques.

Publicidade