Com Rússia no circuito mundial, F1 acompanha acontecimentos na Ucrânia

A corrida russa deste ano está programada para ser a última ao redor do parque olímpico de Sochi, com o evento se transferindo para uma pista perto de São Petersburgo a partir de 2023

Autoridades da Fórmula 1 estão “acompanhando de perto” os acontecimentos na Ucrânia após a invasão russa nesta quinta-feira (24), mas não comentaram se o GP da Rússia seguirá em frente como planejado em setembro.

Publicidade

A Rússia realiza o GP desde 2014, com o evento deste ano marcado para 25 de setembro.

“A Fórmula 1 está acompanhando de perto os desenvolvimentos muito fluidos como muitos outros e neste momento não tem mais comentários sobre a corrida agendada para setembro”, disse um porta-voz da categoria, cujos direitos comerciais foram adquiridos pela Liberty Media, com sede nos Estados Unidos, em 2017. “Continuaremos monitorando a situação muito de perto.”

A corrida russa deste ano está programada para ser a última ao redor do parque olímpico de Sochi, com o evento se transferindo para uma pista perto de São Petersburgo a partir de 2023.

A Rússia lançou uma invasão total da Ucrânia por terra, ar e mar nesta quinta-feira (24), o maior ataque de um Estado contra outro na Europa desde a Segunda Guerra Mundial.

Publicidade

* É proibida a reprodução deste conteúdo.

(Agência Brasil)

Publicidade