Olivinha faz história no Flamengo como bicampeão mundial de basquete

A segunda conquista faz do Flamengo o clube brasileiro com mais títulos mundiais. O Sírio também levantou a taça intercontinental, em 1979

O ala-pivô Olivinha entrou para a história do Flamengo ao levantar a taça da Copa Intercontinental, equivalente ao Mundial de Clubes no basquete masculino, após a vitória de domingo (13) sobre o San Pablo Burgos (Espanha), que defendia o título, por 75 a 62, no ginásio Hassan Moustafa, no Cairo (Egito). O capitão rubro-negro é o único remanescente, no atual elenco, da equipe campeã do mundo em 2014, no Rio de Janeiro.

Publicidade

“[A final] Foi um jogo, de certa forma, até um pouco tranquilo. A gente conseguiu fazer tudo que o Gustavo [de Conti, técnico] pediu desde o começo, abrimos uma boa diferença no primeiro quarto e conseguimos administrá-la até o fim. Fizemos um trabalho muito bom nos dois jogos”, festejou Olivinha em entrevista à FlaTV, lembrando também da vitória de sexta-feira (11), na semifinal, por 94 a 71, sobre o Lakeland Magic (Estados Unidos), filial do Orlando Magic que disputa a liga de desenvolvimento da NBA [liga norte-americana de basquete].

Olivinha, inclusive, foi o cestinha da decisão, com 17 pontos. O ala-armador Dar Tucker apanhou seis rebotes, enquanto o armador Yago Matheus distribuiu cinco assistências na partida. O ala-armador Luke Martinez, por sua vez, foi eleito o jogador mais valioso da competição, o chamado de MVP (sigla em inglês para Most Valuable Player).

A Copa Intercontinental era o maior objetivo do Flamengo em 2022. Alguns tropeços que antecederam o torneio, como derrotas para Paulistano e Sesi Franca, pelo Novo Basquete Brasil (NBB), entre novembro e dezembro, e para o Minas Tênis Clube, em janeiro, na semifinal da Copa Super 8 (que reuniu os oito melhores do primeiro turno do NBB), não preocuparam a comissão técnica.

Publicidade
Flamengo - basquete - bicampeão mundial 2022

Com a segunda taça da Copa Intercontinental, o Flamengo tornou-se o clube brasileiro com mais títulos mundiais – Gilvan de Souza/Flamengo/Direitos Reservados

“Nada é por acaso. Estávamos muito focados e preparados. Às vezes, algumas críticas durante a temporada, algumas derrotas que são inesperadas até pra nós, fazem crescer, mas a gente não pode ceder muito a qualquer tipo de pressão. Sabíamos que estávamos no caminho certo para essa competição [Intercontinental]. O importante era jogar como estávamos jogando no Brasil. Deu tudo certo”, disse Gustavo de Conti, também à FlaTV.

A segunda conquista faz do Flamengo o clube brasileiro com mais títulos mundiais. O Sírio também levantou a taça intercontinental, em 1979.

Publicidade

O Rubro-Negro volta a quadra no domingo (20), às 11h (horário de Brasília), contra o Minas, em Belo Horizonte, pelo NBB. A equipe carioca é a vice-líder da competição, com 17 vitórias e duas derrotas, atrás somente do Franca.

(Agência Brasil)

Publicidade