Berlim proíbe pessoas não vacinadas em restaurantes

Com 66,7% da população vacinada os números de casos só aumentam

berlim-proíbe-pessoas-não-vacinadas-em-restaurantes
Não vacinados não entrarão em restaurantes em Berlim (Crédito: Canva)

A capital da Alemanha, Berlim, irá proibir pessoas não vacinadas de frequentar alguns lugares como bares, restaurantes, cinemas e outros locais, a partir da próxima segunda-feira (15). Essa medida, deve ser tomada devido o aumento de casos da Covid-19.O país enfrenta uma nova onda do coronavírus antes do inverno.

Publicidade

Tendo em vista o aumento de casos, o governo pediu para que as medidas como, uso de máscaras e distanciamento social prevaleçam até março do ano que vem. Com todas essas normas, a partir da próxima semana quem não estiver vacinado, não conseguirá realizar algumas atividades em Berlim. Segundo o anúncio do Senado da cidade, a regra “2G” implantada, proíbe a entrada de pessoas sem as duas doses.

De acordo com à CNN, a chanceler Angela Merkel, postou uma mensagem de vídeo no site do governo do país e disse “na Alemanha, devo dizer, infelizmente, que nossa taxa de vacinação não é alta o suficiente para prevenir a rápida disseminação do vírus”, pedindo uma ação rápida para acelerar o índice de vacinação.

A Alemanha está atrasada na vacinação, em relação a alguns países vizinhos. Possui 66,7% da sua população vacinada e um grande aumento nos casos. Mas, mesmo com uma nova onda, o número de internações e mortes é bem menor do que situações anteriores.

Vale recordar que o Ministro da Saúde da Alemanha, Jens Spahn, havia dito que o país está vivendo a pandemia do não vacinados, de forma a reforçar a importância de todos se vacinarem completamente o mais rápido possível.

Publicidade

No Brasil 73,43% da população receberam a primeira dose e 57,85% já receberam as duas doses ou dose única. Segundo, o Ministério da Saúde são 281.066.476 doses aplicadas e 344.188.826 de doses distribuídas em todo o Brasil. Ainda de acordo com informações do ministério, recentemente durante uma visita em Manaus, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, reforçou a importância da vacinação. “À medida que a vacinação avança, os casos diminuem. Se diminuem os casos, diminuem a pressão sobre o sistema de saúde e, sobretudo, os óbitos. Então, vamos nos unir contra o nosso único inimigo: o vírus”.

No Twitter diversas pessoas tem criticado a situação: