velhos inimigos

Em resposta à Rússia, EUA enviam embarcação nuclear para Baía de Guantánamo

Segundo o Exército norte-americano, o USS Helena atracou na base para uma “visita de porto rotineira” enquanto o submarino viaja pela região do Comando Sul

O Estados Unidos enviaram um submarino de ataque rápido nuclear para a Baía de Guantánamo, base naval norte-americana localizada no sudeste de Cuba.
USS Helena – Créditos: Seaforce.org

O Estados Unidos (EUA) enviaram um submarino de ataque rápido nuclear para a Baía de Guantánamo, base naval norte-americana localizada no sudeste de Cuba. O movimento é uma resposta à decisão da Rússia de mandar quatro embarcações em Havana.

Publicidade

Segundo o Exército dos EUA, o USS Helena atracou na base para uma “visita de porto rotineira” enquanto o submarino viaja pela região do Comando Sul. Entretanto, o exercício indubitavelmente aumenta a tensão entre os dois países, que vem fragilizando-se desde o começo da guerra na Ucrânia.

Publicidade

Navios da Rússia em Cuba

Na manhã da última quarta-feira (12), um grupo de navios da Marinha Russa, incluindo um submarino nuclear, chegou a Cuba, sinalizando o fortalecimento dos laços entre os dois aliados da Guerra Fria.

A fragata russa Admiral Gorshkov, a primeira de um comboio de quatro navios, disparou uma saudação de 21 tiros ao entrar no porto de Havana. A saudação foi respondida pelos cubanos com tiros de canhão de um forte colonial do século XVIII, construído pelos espanhóis para proteger o porto.

A Gorshkov é um dos navios mais modernos da Marinha Russa e foi seguida pelo submarino nuclear Kazan, um rebocador de resgate e um petroleiro.

Publicidade

A partir de quinta-feira, “o público em geral” em Cuba poderá visitar a fragata Gorshkov por quatro horas diárias durante três dias. Analistas militares acreditam que ela é capaz de realizar missões de longo alcance, guerra anti-submarino e transportar mísseis superfície-superfície e superfície-ar, entre outros sistemas de armas.

EUA vão monitorar

Oficiais dos EUA disseram à CNN que o exército americano havia mobilizado navios e aviões para monitorar os exercícios militares da Rússia no Atlântico e no Caribe, e vinha rastreando os navios russos enquanto transitavam pelo Atlântico nos últimos dias rumo a Cuba.

Os navios da Marinha dos EUA que rastrearam as embarcações russas incluem o USS Truxtun, o USS Donald Cook e o navio da Guarda Costeira USCGC Stone, confirmou o oficial dos EUA. O país também mobilizou recursos aéreos, incluindo um avião de reconhecimento P-8 Poseidon, para sobrevoar os navios russos. O Canadá também mobilizou recursos para monitorar a atividade, disse o oficial.

Publicidade

Porém, Cuba emitiu um comunicado, explicando que trata-se apenas de uma visita padrão. “As visitas de unidades navais de outros países são uma prática histórica do governo revolucionário com nações que mantêm relações de amizade e colaboração”.

Siga a gente no Google Notícias

Assine nossa newsletter

Cadastre-se para receber grátis o Menu Executivo Perfil Brasil, com todo conteúdo, análises e a cobertura mais completa.

Grátis em sua caixa de entrada. Pode cancelar quando quiser.