Estados Unidos proíbe transações com BC da Rússia e congela ativos da instituição

Medida agressiva que está visando alguns dos meio mais poderosos da Rússia de mitigar o efeito das sanções

Estados Unidos proíbe transações com BC da Rússia e congela ativos da instituição
As conversas entre as delegações da Ucrânia e da Rússia também deram início nesta segunda-feira na Bielorússia (Créditos: Ian Waldie/Getty Images)

Medidas imediatas estão sendo tomadas pelos Estados Unidos nesta segunda-feira (28) para proibir as transações em dólares americanos com o Banco Central russo e bloquear totalmente o fundo de investimento direto russo, relataram altos funcionários do governo, uma medida bem agressiva que está visando alguns dos meios mais poderosos da Rússia de mitigar o efeito das sanções.

Publicidade

O objetivo disso tudo é conseguir impedir a Rússia de acessar um “fundo para dias difíceis” com o qual Moscou estava esperando contar durante a invasão à Ucrânia, de acordo com as autoridades. Ao invés de utilizar reservas para amortecer um rublo em queda, a Rússia não poderá mais acessar os fundos que mantém em dólares americanos.

As novas e abrangentes sanções tomadas com Alemanha, França, Reino unido, Itália, Canadá, União Europeia e outros, acontecem em meio à queda livre da economia russa. O rublo, nesta segunda-feira (28), caiu em 30% um recorde para a moeda local, e o banco central elevou a taxa básica de juros de 9,5% para 20%.

“Nenhum país é à prova de sanções”, disse um funcionário da Casa Branca. “O cofre de guerra de Putin de US$ 630 bilhões em reservas só é importante se puder ser usado para defender a moeda local, especificamente vendendo essas reservas em troca da compra do rublo.” Depois das ações de hoje, isso não será mais possível, e a fortaleza da Rússia será exposta como um fachada.”

Um alto funcionário do governo, em um telefonema com repórteres na manhã desta segunda-feira (28), disse que medida era “o culminar de meses de planejamento e preparação em nossos respectivos governos em canais técnicos, diplomáticos e políticos, inclusive nos níveis mais altos”. “Estávamos prontos e foi isso que nos permitiu agir dentro de dias, não semanas ou meses, da escalada de Putin”, disse a autoridade.

Publicidade

Nossa estratégia, para simplificar, é garantir que a economia russa retroceda enquanto o presidente Putin decidir avançar com sua invasão da Ucrânia”, disse um segundo alto funcionário do governo.

O Departamento do Tesouro em uma tentativa de mitigar o impacto das sanções sobre os consumidores de energia dos EUA e da Europa, isentará das sanções a maioria das transações relacionadas à energia, um corte significativo nas sanções.

Um funcionário chamou as sanções em andamento de um “ciclo vicioso de feedback que é desencadeado pelas próprias escolhas de Putin e acelerado por sua própria agressão”. As sanções bloqueiam também totalmente o Fundo de Investimento Direto Russo e seu CEO, Kirill Dmitriev. As autoridades disseram que eles eram “símbolos da corrupção russa profundamente enraizada e do tráfico de influência globalmente”. “As ações de hoje representam as ações mais significativas que o Tesouro dos EUA tomou contra uma economia desse tamanho e ativos desse tamanho”, disse outro funcionário.

Publicidade

“O que também torna esse ativo significativo não é apenas a quantidade de ativos ou o tamanho do país que estamos mirando, mas a velocidade com que nossos parceiros e aliados trabalharam conosco para aprovar essa resposta”.

Uma autoridade foi questionada sobre possíveis sanções adicionais à Bielorrúsia, que parece pronta para elevar o seu papel na invasão da Ucrânia pela Rússia, ela disse que os EUA estão observando os eventos “com muito cuidado” e que as sanções à Bielorússia “continuarão a aumentar muito mais”.

Enquanto a Rússia aumenta ainda mais as pressões, as batalhas continuam nesta segunda-feira próxima de várias cidade importantes da Ucrânia. As forças russas estão enfrentando “forte resistência” com a desaceleração no norte da Ucrânia, disse uma autoridade de defesa dos EUA, enquanto tropas invasoras estão tendo “um pouco mais de sucesso” no Sul. De acordo com milhares de ucranianos, a Rússia “retardou sua ofensiva”, mas “ainda está tentando” conquistar o território ucraniano em todo o país.

Publicidade

As conversas entre as delegações da Ucrânia e da Rússia também deram início nesta segunda-feira na Bielorússia. No período que antecedeu a reunião, a Ucrânia exigiu um “cessar-fogo imediato e a retirada das tropas russas”.

Fugiram para países vizinhos mais de 500 mil pessoas após o início da invasão informou a Agência das Nações Unidas para Refugiados. Volodymyr Zelensky, presidente da Ucrânia, pediu aos países europeus que façam mais para apoiar sua nação e na segunda-feira (28) pediu à União Europeia que “admita urgentemente a Ucrânia” ao bloco.

Rússia tem substituto interno para SWIFT, diz Banco Central do país

A Rússia tem um sistema que poderá substituir internamente o sistema de pagamentos internacionais SWIFT, disse Elvira Nabiullina, presidente do banco central, enfatizando a necessidade de apoiar os clientes dos bancos. Nabiullina disse que todos os bancos na Rússia cumprirão suas obrigações e todos os fundos em suas contas estão garantidos.

Publicidade