Mísseis russos atingem depósitos de combustível em Odessa

Até então, a cidade histórica de Odessa havia sido, relativamente, pouco afetada pelos combates

Os mísseis russos destruíram depósitos de combustíveis no porto de Odessa e, também, uma refinaria de petróleo na região de Poltava e na região central da Ucrânia. Até então, a cidade histórica de Odessa havia sido, relativamente, pouco afetada pelos combates.

Publicidade

Em Kramatorsk, centenas de pessoas fugiram por medo da ofensiva russa. A cidade está sob o controle de Kiev, capital da Ucrânia. De acordo com o portal G1, especialmente mulheres, crianças e idosos deixaram a cidade.

Os civis deixaram a cidade pela estação de trem de Kramatorsk, de forma ordenada e com a ajuda de voluntários. “Estou enviando meus filhos para o oeste (do país) para um lugar mais seguro, como todos os outros”, disse Andrei, em entrevista a agência AFP. “Muita gente já foi embora. Há dois ou três dias, nossas famílias estão saindo, nós homens ficamos (…), a situação é ruim”, completou.

Entenda o conflito

Desde o dia 24 de fevereiro, Vladimir Putin deu início ao conflito contra a Ucrânia ao bombardear regiões do país. A invasão contou com domínios por terra, mar e ar, após autorização do presidente russo.

Publicidade

Vladimir Putin não aceita que a Ucrânia faça parte da OTAN, uma aliança criada pelos Estados Unidos. O presidente não deseja que uma base inimiga seja estabelecida próxima a seu território, uma vez que a Ucrânia faz fronteira com a Rússia. Esse foi um dos estopins para que Putin iniciasse os ataques.