FIÉIS

Peregrinação: quase 600 muçulmanos morrem devido calor intenso em Meca

A TV estatal da Arábia Saudita informou que as temperaturas, previstas para chegarem a até 48ºC, subiram na segunda (17), marcando 51,8ºC na sombra na Grande Mesquita

O governo egípcio vai revogar as licenças de 16 empresas de turismo de Hajj envolvidas em peregrinações ilegais a Meca e encaminhar os gerentes dessas empresas ao promotor público, em meio a temores de que centenas de egípcios possam estar entre os mais de 1,3 mil mortos durante o Hajj deste ano.
Muitas vítimas sucumbiram ao calor extremo – Crédito: Canva Fotos

Quase 600 peregrinos muçulmanos morreram durante a peregrinação à cidade de Meca, chamada de hajj. A devoção acontece este ano sob temperaturas extremas, conforme informações de diplomatas na Arábia Saudita.

Publicidade

A peregrinação começou na última sexta-feira (14). Dados contabilizaram 577 mortes de peregrinos no hajj deste ano até esta quarta-feira (19). Dentre as vítimas, estão peregrinos do Egito, Tunísia, Indonésia, Irã, Senegal e Jordânia, segundo dados da agência de notícias AFP.

A TV estatal da Arábia Saudita informou que as temperaturas, previstas para chegarem a até 48ºC, subiram na segunda (17), chegando a 51,8ºC na sombra na Grande Mesquita em Meca.

Muçulmanos egípcios em Meca

Entre os 577 mortos, pelo menos 323 são egípcios, que morreram por doenças provocadas pelo calor, afirmou um dos diplomatas entrevistados pela agência. Um deles morreu após um tumulto na multidão de pessoas no local. O balanço é do necrotério do hospital de bairro Al Muaisem da cidade saudita. Também foram registradas mortes de 60 pessoas da Jordânia.

O relatório obtido pela AFP não informou se as mortes ocorreram depois do início oficial do hajj, na última sexta (14), ou se já tinham sido registrados falecimentos antes desta data, entre os peregrinos que chegaram com antecedência ao local.

Publicidade

Neste ano, o hajj atraiu cerca de 1,8 milhão de peregrinos, incluindo 1,6 milhão do exterior, segundo autoridades sauditas.

O porta-voz do Ministério da Saúde da Arábia Saudita, Mohammed al-Abdulali, disse que, em 2023, o governo atendeu mais de 10 mil peregrinos com problemas relacionados às altas temperaturas. Ao menos 240 fiéis vieram a óbito na peregrinação de 2023, sendo a maioria cidadãos da Indonésia – país com maior número de muçulmanos no mundo.

Publicidade

Assine nossa newsletter

Cadastre-se para receber grátis o Menu Executivo Perfil Brasil, com todo conteúdo, análises e a cobertura mais completa.

Grátis em sua caixa de entrada. Pode cancelar quando quiser.