Rússia e Ucrânia iniciam conversas para cessar-fogo

O presidente da Ucrânia segue em um bunker no território ucraniano. Volodymyr Zelensky disse que aceitou que a delegação do país viajasse a Belarus desde que aviões, helicópteros e mísseis bielorrussos ficassem em solo até a saída dos representantes ucranianos

Rússia e Ucrânia iniciam conversas para cessar-fogo
Comitiva de negociações (Crédito: Reprodução/ Redes sociais)

As delegações da Rússia e Ucrânia iniciam nesta segunda-feira (28) as negociações de cessar-fogo em Gomel, pequena cidade de Belarus, perto da fronteira com a Ucrânia

Publicidade

Pelo Twitter, o governo bielorusso disse que o presidente Lukashenko “espera sinceramente que, durante as conversas de hoje, seja possível encontrar soluções para problemas críticos. Todos os bielorrussos estão rezando por isso”, diz a postagem. 

A comitiva ucraniana inclui o ministro da Defesa da Ucrânia, Oleksiy Reznikov, o conselheiro do chefe do gabinete do presidente da Ucrânia, Mykhailo Podoliak, e o vice-ministro dos Negócios Estrangeiros da Ucrânia, Mykola Tochytskyi, segundo comunicado publicado pela CNN Internacional. 

A publicação do Ministério dos Negócios Estrangeiros da República da Bielorrússia afirma: “O Presidente Lukashenko espera sinceramente que durante as conversas de hoje seja possível encontrar soluções para as questões críticas. E todos os bielorrussos estão orando por isso.”

O presidente da Ucrânia segue em um bunker no território ucraniano. Volodymyr Zelensky disse que aceitou que a delegação do país viajasse a Belarus desde que aviões, helicópteros e mísseis bielorrussos ficassem em solo até a saída dos representantes ucranianos. 

Também nesta segunda-feira, a Assembleia Geral da ONU fará uma reunião emergencial para discutir a crise no leste europeu. A Assembleia Geral da ONU só fez reuniões especiais como essa outras 10 vezes, desde 1950, segundo o jornal The New York Times. 

O Conselho Geral da ONU convocou o evento depois que o presidente russo Vladimir Putin colocou o arsenal nuclear em alerta máximo no domingo (27). Ele justificou a medida alegando “declarações agressivas” de líderes da OTAN, aliança militar do Ocidente, e também das sanções econômicas anunciadas contra Moscou por vários países. A informação foi publicada pelo site da CNN Brasil. 

Publicidade

Entenda a guerra entre Rússia e Ucrânia

Depois de meses de tensão militar, o presidente da Rússia, Vladimir Putin autorizou a invasão à Ucrânia, na noite da última quarta-feira (23). Desde então, tropas dos dois países combatem dentro do território ucraniano. 

Um dos fatores que desencadeou o conflito foi a possibilidade da Ucrânia entrar na OTAN, aliança militar do Ocidente. Putin não admite a possibilidade e exige que a Ucrânia se comprometa a nunca entrar na organização. 

Moscou vê a entrada da Ucrânia na aliança militar como uma ameaça direta à segurança do país já que o território do país divide uma grande fronteira com a Rússia. 

Publicidade