Últimas palavras desafiadoras dos soldados enquanto navio de guerra russo atinge a Ilha das Cobras

*Por Brad Lendon, Tim Lister e Josh Pennington

ultimas-palavras-desafiadoras-dos-soldados-enquanto-navio-de-guerra-russo-atinge-a-ilha-das-cobras
Todos os 13 defensores ucranianos foram mortos em um bombardeio russo na quinta-feira (24)(Crédito: Scott Olson/Getty Images)

Um soldado ucraniano em uma pequena ilha no Mar Negro não se conteve quando ameaçado de bombardeio por um navio de guerra russo enquanto Moscou continuava seu ataque ao território ucraniano.

Publicidade

De acordo com uma suposta troca de áudio, quando os russos se aproximaram da Ilha da Cobra, também conhecida como Ilha Zmiinyi, o oficial russo disse: “Este é um navio de guerra militar. Este é um navio de guerra militar russo. Sugiro que você deponha suas armas e se renda para evitar derramamento de sangue e baixas desnecessárias. Caso contrário, você será bombardeado.”

Um soldado ucraniano responde: “Navio de guerra russo, vá se foder”. Essas foram as últimas palavras conhecidas ouvidas da ilha. Todos os 13 defensores ucranianos foram mortos em um bombardeio russo na quinta-feira (24), disse o presidente ucraniano Volodymyr Zelensky. “Todos os guardas de fronteira morreram heroicamente, mas não desistiram. Eles receberão o título de Herói da Ucrânia postumamente”, disse Zelensky.

A Ilha das Cobras fica a cerca de 48 quilômetros da ponta sul do continente ucraniano, no noroeste do Mar Negro. Fica a cerca de 300 quilômetros a oeste da Crimeia, o território ucraniano que a Rússia anexou em 2014.

Embora tenha apenas cerca de 46 acres (18 hectares) de tamanho, um relatório do ano passado do think tank apartidário Atlantic Council o chamou de “chave para as reivindicações territoriais marítimas da Ucrânia” no Mar Negro.

Publicidade

Destacando sua importância estratégica, Zelensky o escolheu no ano passado como o local para uma entrevista com a mídia ucraniana antes de uma cúpula para tentar reverter a anexação da Crimeia pela Rússia, disse o relatório do Conselho Atlântico.
As palavras de Zelensky aos entrevistadores naquele dia se mostraram proféticas
“Esta ilha, como o resto do nosso território, é terra ucraniana, e vamos defendê-la com todas as nossas forças”, disse.

*Este texto não reflete, necessariamente, a opinião da Perfil Brasil.

*Texto publicado originalmente no site CNN Internacional.

Publicidade