Fale conosco

O que vc está procurando?

Brasil

Empresários do Amazonas assinam termo para manter lojas abertas

empresarios-do-amazonas-assinam-termo-para-manter-lojas-abertas

Representantes dos setores de comércio e serviço se comprometeram a assinar um termo de ajustamento de conduta (TAC) com o governo do Amazonas e com o Ministério Público Estadual visando estabelecer novos critérios para o setor de forma a manter os negócios funcionando em meio à pandemia que já matou pelo menos 5.173 pessoas no estado. Segundo boletim divulgado ontem pela Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas, o estado já registrou mais de 196 mil casos da doença.

Em reunião que terminou na madrugada de hoje (27), empresários e representantes do Poder Público decidiram pela “flexibilização” de medidas como o fechamento de lojas – adotada como forma de evitar o avanço do novo coronavírus no estado. Para tanto, foi assinado, pelos representantes de entidades de comércio e de serviços, um TAC prevendo, para o período de 28 de dezembro a 11 de janeiro, “novos critérios de funcionamento do setor”.

As medidas restritivas serão detalhadas por meio de um decreto que deverá ser publicado pelo governo do Amazonas nas próximas horas. Em nota, o governador Wilson Lima diz estar buscando “equilíbrio” entre “proteção da vida, ampliação da rede de saúde e funcionamento de atividades econômicas para garantir emprego e renda para as pessoas”.

Entre as contrapartidas que deverão ser implementadas pelos empresários estão fornecer transporte aos trabalhadores, máscaras e álcool em gel, bem como dar apoio médico para funcionários com covid-19 durante o vínculo trabalhista.

“Depois de uma longa reunião que nós tivemos aqui com os poderes, com deputados e com a maior quantidade possível de representantes das atividades econômicas, chegamos a um entendimento de flexibilização a partir de segunda-feira (28)”, complementou o governador ao lembrar que o decreto só terá validade enquanto o nível de ocupação de leitos de UTI na rede estadual de saúde estiver abaixo de 85%.

O acordo prevê que os estabelecimentos devem funcionar de segunda a sexta-feira, das 8h às 16h (incluindo os vendedores ambulantes), aos sábados e domingos somente nas modalidades delivery e drive-trhu. Todos os estabelecimentos devem funcionar com limite de até 50% da capacidade. Shoppings Centers funcionarão de segunda a sexta-feira, das 12h às 20h, sendo que aos sábados e domingos o funcionamento deve ocorrer nas modalidades delivery e drive-trhu.

“Os horários de funcionamento de bares, restaurantes, lanchonetes, lojas de conveniência e flutuantes serão ainda discutidos pelo Comitê de Enfrentamento à Covid-19 junto com os representantes do comércio. A realização de festas em condomínios fica proibida em áreas comuns, além da locação de flutuantes”, informou o governo do estado por meio de nota.

Agência Brasil

Veja também

Saúde

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, fala hoje (21) sobre a pandemia de covid-19. Veja ao vivo:   Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, concede...

Brasil

Mais de 600 lixões pelo Brasil foram desativados em um período de um ano, de acordo com levantamento da Associação Brasileira de Empresas de...

Brasil

Entre os eventos comemorativos ao 21 de abril, aniversário da capital federal, está a reinauguração do Museu de Arte da Brasília (MAB), que estava fechado...

Brasil

Os exames realizados no prefeito de São Paulo, Bruno Covas, mostraram avanço do câncer, com acúmulo de líquido no abdômen e no pulmão. Ele...