Fale conosco

O que vc está procurando?

Brasil

Museu de Arte do Rio reabre portas ao público com regras de segurança

museu-de-arte-do-rio-reabre-portas-ao-publico-com-regras-de-seguranca

O Museu de Arte do Rio (MAR) reabriu suas portas hoje (11) , seguindo os protocolos de segurança da Organização Mundial da Saúde (OMS) e de autoridades sanitárias nacionais, em função da pandemia do novo coronavírus.

As regras incluem distanciamento entre as pessoas, máximo de 20 visitantes por vez em cada sala de exposição e disponibilização de álcool gel para higienização das mãos. Também será feito controle de temperatura dos visitantes. Como o museu tem cinco salas de exposição, o limite de visitação chega a 100 pessoas por hora, informou à Agência Brasil o curador-geral da instituição, Marcelo Gustavo Campos.

Neste primeiro momento, as salas estarão abertas de quinta-feira a domingo, das 11h às 18h. Os ingressos, no valor de R$ 20 (inteira), devem ser adquiridos no site do museu ou diretamente na bilheteria, das 10h às 17h. Segundo Campos o MAR vai funcionar também no sábado e no domingo de carnaval, uma opção de lazer cultural para aqueles que não gostam muito de folia. “Depois volta a funcionar de quinta a domingo”, disse.

Pintura mural

A reabertura do MAR traz a mostra inédita Paulo Werneck – Murais para o Rio, que vai ocupar uma das galerias do museu até agosto. Segundo Marcelo Campos, Paulo Werneck foi um importante muralista, que atuou junto a arquitetos de renome, entre os quais Oscar Niemeyer. São de autoria dele projetos como o prédio da Associação Brasileira de Imprensa (ABI), localizado na região central do Rio.

“É um muralista a quem o museu se dedicou a estudar, junto com a neta dele, Claudia Saldanha, curadora da mostra conosco. E nós começamos a perceber que em vários lugares da cidade temos murais de Paulo Werneck e, muitas vezes, não sabemos. Ao lado da Candelária, temos um mural feito originalmente para o Banco Boavista”, citou o curador-geral. A exposição objetiva também revelar à população que a cidade tem obras de arte pelas ruas que nem todo mundo percebe, destacou Campos.

Exposições

Em paralelo à mostra de Paulo Werneck, terão continuidade as exposições Rua!; Casa Carioca e Aline Motta: memória, viagem e água, lançadas no ano passado. Casa Carioca, por exemplo, reúne cerca de 600 obras de mais de 100 artistas, com temas como lar e direito à moradia no Brasil. Já Rua! trata da linguagem urbana, isto é, a linguagem das ruas.

“Temos uma rampa de skate que é acionada em alguns momentos e mostra pessoas andando na rampa”, disse o curador-geral. A terceira exposição, que poderá ser apreciada agora, após a reabetrura do MAR, mostra o trabalho da artista visual fluminense Aline Motta, que pesquisa a ancestralidade africana da sua própria família. “Temos uma programação vasta para o carnaval”, disse Campos.

O curador-geral  informou ainda que o museu está produzindo uma nova exposição, que deve começar a ser montada em abril, para inauguração em maio deste ano. A mostra terá parceria com o Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro (IHGB).

“Nós temos a coleção do IHGB, que vem desde o século 19, com peças históricas dos períodos do Império e da República, e a gente convida artistas contemporâneos que vão dialogar com essas peças. Vão rever a história do Brasil e atualizar essa história”.

O nome provisório dessa exposição é Imagens que não se conformam. Ou seja, trata de imagens que são da história, observando que toda história tem vários lados, vários caminhos de abordagem, adiantou Campos. 

Agência Brasil

Mais em Perfil

Últimas Notícias