Fale conosco

O que vc está procurando?

Brasil

Polícia Federal prende Roberto Jefferson, presidente nacional do PTB

A autorização da prisão partiu do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), que relatou que o ex-deputado utiliza a rede virtual de apoiadores “para criar ou compartilhar mensagens que tenham por mote final a derrubada da estrutura democrática e o Estado de Direito no Brasil”

Polícia Federal prende Roberto Jefferson, presidente nacional do PTB
Ex-deputado e presidente nacional do PTB, Roberto Jefferson (Crédito: Weleson Nascimento/PTB Nacional)

A Polícia Federal prendeu preventivamente, (que não tem prazo estipulado para acabar), nessa sexta-feira (13), o ex-deputado e presidente nacional do PTB, Roberto Jefferson.

A autorização para prender Roberto Jefferson, partiu do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF).

O relator alegou que o ex-deputado tem se manifestado, por meio de postagens em redes sociais e em entrevistas concedidas, atacando integrantes de instituições públicas, desacreditando o processo eleitoral brasileiro, reforçando o discurso de polarização e de ódio; e gerando animosidade na sociedade brasileira, promovendo o descrédito dos poderes da República.

O ministro acredita que existe uma possível organização criminosa, da qual Roberto Jefferson faz parte do núcleo político, e que o objetivo é desestabilizar as instituições republicanas.

“utilizando-se de uma rede virtual de apoiadores que atuam, de forma sistemática, para criar ou compartilhar mensagens que tenham por mote final a derrubada da estrutura democrática e o Estado de Direito no Brasil”.

O Diretório Nacional do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), se posicionou por meio de uma nota, em que disse estar surpreso com mais uma medida arbitrária orquestrada pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes.

“O ato demonstra, mais uma vez, a tentativa de censurar o presidente da legenda, impedindo-o de exercer seu direito à liberdade de opinião e expressão por meio das redes sociais.”

O partido afirma que está aguardando os desdobramentos para se pronunciarem acerca das medidas a serem adotadas.

Nota na íntegra:

“O Diretório Nacional do Partido Trabalhista Brasileiro vem a público manifestar a sua incredulidade com a prisão de seu Presidente Nacional, Roberto Jefferson. O PTB foi surpreendido com mais uma medida arbitrária orquestrada pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes. O ato demonstra, mais uma vez, a tentativa de censurar o presidente da legenda, impedindo-o de exercer seu direito à liberdade de opinião e expressão por meio das redes sociais. Este é mais um triste capítulo da perseguição aos conservadores. Nosso partido espera que a justiça veja o quão absurda é este encarceramento. No momento, aguardamos os desdobramentos futuros para nos pronunciarmos acerca das medidas a serem adotadas.”

Redes sociais

O ministro Alexandre de Moraes apontou o presidente do PTB, no Twitter, exibe armas, faz discursos de ódio, homofóbicos e incentiva a violência.

Ele também citou um vídeo recente postado por Jefferson, no qual o político faz um vídeo no qual sugeriu que protestos transformariam ministros do STF em “urubu com chicória”.

Para o relator é “nítido objetivo de tumultuar, dificultar, frustrar ou impedir o processo eleitoral, com ataques institucionais ao Tribunal Superior Eleitoral e ao seu ministro-presidente”.

A conta do Twitter do ex-deputado saiu do ar na manhã desta sexta-feira (13), após a determinação do ministro do STF.

Mais em Perfil

Últimas Notícias