Fale conosco

O que vc está procurando?

Carros

Saiba mais sobre o mercado de picapes de médio porte da Kia e da Hyundai

Os dirigentes das duas empresas não negam nem confirmam se os projetos verão a luz ou se serão esquecidos

O mercado de picapes de médio porte da Kia e da Hyundai
Hyundai Santa Cruz (Crédito: Divulgação)

Nos últimos anos, a Kia e a Hyundai têm acompanhado de perto o mercado de picapes compactas e médias, ambas as empresas pretendem desenvolver uma ampla gama de modelos em ambos os segmentos.

No caso da Hyundai, a pioneira foi a Santa Cruz, modelo do segmento compacto ao qual, aparentemente, seria acrescentada uma picape. A Kia, por sua vez, ainda não apresentou um modelo dessas características, mas alguns meios de comunicação garantem que isso acontecerá em breve.

Esses rumores garantem que os dois projetos permaneçam inalterados para 2022 e 2023, quando duas picapes irmãs de médio porte seriam apresentadas, uma com o logotipo Kia e outra com o logotipo Hyundai, embora nada seja oficialmente confirmado.

Além da pandemia, se nos guiarmos pelo contexto regional, as vans teriam grandes chances de chegar a vários mercados, uma vez que cada vez mais países apostam nessa classe de modelos.

Segundo a Car Advice, as duas empresas já trabalham nos projetos há quatro anos e precisariam de mais um para deixá-los prontos. “Ainda não temos uma direção clara do que vai acontecer, essa é a verdade”, disse Damien Meredith, diretor da Kia Austrália, sobre o futuro da picape sul-coreana. “Esperamos que algo aconteça no espaço de caminhões de nossa marca nos próximos anos, não apenas na Austrália, mas globalmente”, concluiu.

Mesmo assim, ele estava otimista com a “mania” das picapes e as possibilidades de lançar um caminhão que é vendido na maioria dos mercados globais, onde a América do Sul tem grande potencial.

Quando questionado se os projetos estavam vivos ou não, o gerente respondeu: “Ninguém da Coreia se sentou comigo. Eles nos fizeram a pergunta três anos atrás, quatro anos atrás ‘quantos você pode vender?’ E eu disse que poderíamos ganhar 20.000 por ano. Todos os coreanos ficaram impressionados.”

Ao encerrar, Meredith disse que cabe à Kia seguir em frente com o projeto, embora por enquanto não tenham recebido nenhuma confirmação de que o caminhão está avançando.

*Texto publicado originalmente no site Parabrisas, da PERFIL Argentina.

Mais em Perfil

Últimas Notícias