Fale conosco

O que vc está procurando?

Esporte

Monobob: Marina Tuono começa segunda etapa da Copa Norte-Americana

monobob:-marina-tuono-comeca-segunda-etapa-da-copa-norte-americana

Nesta sexta-feira (29), a paulista Marina Silva Tuono, de 25 anos, começa sua participação na segunda etapa da temporada norte-americana de Monobob. Estreante nos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim de 2022, a modalidade consiste em um trenó com apenas um ocupante que é o responsável por empurrá-lo na largada, pilotá-lo e freá-lo após cruzar a linha de chegada da pista de gelo. As disputas deste final de semana acontecem na cidade de Lake Placid, no estado americano de Nova Iorque. “Passei por quatro dias de muita ansiedade e vários testes de covid-19 e protocolos rígidos. Agora que está tudo pronto e só ir para o gelo e correr atrás de mais resultados positivos”, projetou a atleta natural de Santo André, região metropolitana de São Paulo, e moradora da cidade de St. Charles, no Missouri, desde 2019.

Há duas semanas, em Park City, no estado de Utah, nos Estados Unidos, a brasileira abriu a temporada participando de três provas e faturando três medalhas. Nas duas descidas da primeira corrida, ela foi a segunda melhor, com a marca combinada de 1min 49seg 70. A campeã foi a norte-americana Nicole Vogt. Nas outras duas provas, a brasileira levou dois bronzes. completando as descidas em 1min49seg64 e 1min49seg83 respectivamente.

 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por CBDG (@icebrasil)

Corrida pela vaga para os Jogos de Inverno

Mesmo com essas provas não valendo pontos para o ranking, por causa da pandemia do novo coronavírus (covid-19), esse bom desempenho deixou Marina, que tem aproximadamente quatro anos de experiência nos esportes no gelo e apenas dois como piloto no monobob, na vice-liderança do ranking internacional da modalidade nessa temporada com 314 pontos, atrás apenas da americana Nicole Vogt, com 350. Tudo isso impulsiona ainda mais a preparação da brasileira na busca da classificação olímpica.

Pelas regras da Federação Internacional de Bobsled e Skeleton (IBSF, sigla em inglês), as atletas precisam participar de oito provas entre as temporadas 2020/2021 e 2021/2022. Além disso, devem respeitar um mínimo de cinco corridas em dois países no último ano e o mínimo de oito corridas em três países nas duas temporadas. O ranking internacional fecha em 16 de janeiro de 2022. No total, o torneio olímpico terá 20 participantes. A ideia é que quatro países com duas atletas no top 40 levem duas representantes e os próximos 12 levem uma representante aos Jogos Olímpicos de Pequim em 2022.

Agência Brasil

Mais em Perfil

Últimas Notícias