Fale conosco

O que vc está procurando?

Mundo

Australiana que matou e decapitou a mãe em 2019 é condenada a 21 anos de prisão

Sofrendo de transtornos mentais, Jessica Camilleri golpeou Rita Camilleri ao menos 100 vezes antes de mutilar o cadáver

Australiana que matou e decapitou a mãe em 2019 é condenada a 21 anos de prisão
Australiana que matou e decapitou a mãe em 2019 é condenada a 21 anos de prisão (Crédito: Daniel Bone por Pixabay)

Em julho de 2019, um crime brutal chocou toda a Austrália. Um jovem de 27 anos esfaqueou a mãe e decapitou seu cadáver em Sydney; quase dois anos mais tarde, a mulher, identificada como Jessica Camilleri, foi sentenciada a 21 anos e sete meses de prisão.

A australiana golpeou sua mãe de 57 anos, Rita Camilleri, cerca de 100 vezes. Depois do assassinato, cortou a cabeça e mutilou o resto do corpo. Jessica foi diagnosticada com transtornos mentais, devido a isso, foi acusada de homicídio culposo — quando não há intenção de matar a vítima. Ainda segundo o UOL, Rita teria chamado uma pessoa para exorcizar a filha, acreditando que ela estaria possuída por um demônio.

Na última sexta-feira, 12, a juíza Helen Wilson concluiu o caso. A decisão foi baseada em laudos psiquiátricos, que afirmam que a criminosa sofre de autismo, deficiência intelectual, TOC e surtos de raiva.

“Ela [Rita] deve ter sentido uma dor extrema, [ficado] chocada e apavorada com o que sua filha amada estava fazendo com ela”, proferiu a juíza. Em primeiro momento, Camilleri alegou que agiu em legítima defesa, porém, a afirmação era falsa. Mais tarde, a mulher demonstrou entendimento de suas ações.

*Texto publicado originalmente no site Aventuras na História, da Editora Perfil Brasil.

Mais em Perfil

Últimas Notícias