Fale conosco

O que vc está procurando?

Mundo

EUA anunciam doação de 500 milhões de doses de vacinas

Na lista constam 92 países de renda baixa e ‘médio-baixa’ pela aliança Covax da OMS, mas o Brasil ficou de fora

EUA anunciam doação de 500 milhões de doses de vacinas
Presidente dos Estados Unidos Joe Biden (Crédito: Joshua Roberts/Getty Images)

O governo dos EUA anunciou nesta quinta-feira (10), a doação de 500 milhões de doses de vacina contra a Covid-19 para 92 países pobres até junho de 2022. O anúncio aconteceu depois de assinarem um acordo com a farmacêutica Pfizer, segundo o portal G1.

Os imunizantes serão entregues por meio da aliança Covax Facility, da Organização Mundial da Saúde (OMS), para países de baixa renda e de renda “médio-baixa”, como Afeganistão, Angola e Síria. Segundo o consórcio, eles receberão as doses até o próximo ano.

O Brasil faz parte do consórcio, mas ficou de fora desta distribuição porque é considerado um país que pode comprar suas próprias vacinas, de acordo com o G1. Ao lado do Brasil estão cerca de 80 países, como Argentina, Canadá e Reino Unido.

“O objetivo da doação de hoje é salvar vidas e acabar com a pandemia e fornecerá a base para ações adicionais a serem anunciadas nos próximos dias”, informou a Casa Branca em comunicado.

As vacinas começarão a ser enviadas em agosto de 2021 e a expectativa do governo dos EUA é de que, até o final do ano, 200 milhões de vacinas sejam entregues. Outros 300 milhões de doses devem ser enviadas no primeiro semestre de 2022 segundo a matéria.

Doação para Ásia, América Latina e África

No início do mês o presidente norte-americano, Joe Biden, anunciou que os Estados Unidos doariam quase 19 milhões de doses de vacinas contra a Covid-19 para o consórcio global de vacinas Covax Facility, segundo Agência Brasil

A proposta de Biden é de que estas doses sejam compartilhadas entre países do sul e do sudeste asiático (7 milhões); América Latina e Caribe (6 milhões) e da África (5 milhões). Nesse caso o Brasil foi citado entre os mais de 14 países latino-americanos e caribenhos que dividirão, entre si, as 6 milhões de unidades que o consórcio deverá destinar às duas regiões.

O presidente dos EUA sempre afirma em suas redes sociais a necessidade da vacinação. “Será necessário que todos trabalhem juntos para que 70% dos adultos americanos sejam vacinados.”

Mais em Perfil

Últimas Notícias