Fale conosco

O que vc está procurando?

Mundo

Fogos de artifício explodem no alto de ruas vazias, na Austrália

fogos-de-artificio-explodem-no-alto-de-ruas-vazias,-na-australia

Os fogos de artifício da Casa da Ópera de Sydney subiram aos céus, mas o porto abaixo estava vazio como uma cidade fantasma, uma despedida apropriadamente assustadora por um ano que não passará despercebido.

Nenhum show de luzes iluminará Pequim do alto da torre de TV. Os leões da Trafalgar Square de Londres serão barrados. Em Roma, as multidões não se reunirão na Praça de São Pedro, o Papa não conduzirá missas e os foliões não farão seu mergulho anual no Tibre.

Nos Estados Unidos, no lugar de centenas de milhares de nova-iorquinos amontoados ombro a ombro na Times Square, o público será um pequeno grupo pré-selecionado de enfermeiras, médicos e outros funcionários importantes, com suas famílias mantidas a dois metros de distância em espaços socialmente distantes.

Adeus, 2020. Olá, 2021

Com mais de 1,7 milhão de mortos e 82 milhões de infectados em todo o mundo desde a última véspera de Ano Novo – mas com esperança de que novas vacinas possam ajudar a controlar a pandemia – o final deste ano é como nenhum outro na memória. Angela Merkel, em seu 16º discurso de véspera de Ano Novo como chanceler alemã, disse isso.

“Acho que não estou exagerando quando digo: nunca nos últimos 15 anos achamos o ano velho tão pesado. E nunca, apesar de todas as preocupações e algum ceticismo, aguardamos o novo com tanta esperança.”

“Eu só posso imaginar o quão amargo deve ser para aqueles em luto por entes queridos perdidos para o coronavírus ou que estão tendo que lutar contra as repercussões de uma doença quando o vírus é contestado e negado por alguns indivíduos sem esperança”, disse Merkel, de 66 anos, que afirmou que será vacinada assim que possível.

A Alemanha proibiu a venda de fogos de artifício para desencorajar as multidões. As autoridades em Berlim disseram que a polícia “puniria os violadores de forma consistente”.

“ANO do INFERNO”

Na Austrália, onde os fogos de artifício da Sydney Opera House foram televisionados para todo o mundo como a primeira grande exibição visual do ano novo, o movimento foi restringido, as reuniões proibidas e as fronteiras internas fechadas. A maioria das pessoas foi impedida de ir ao centro de Sydney na noite de quinta-feira.

“Que ano do inferno”, disse Gladys Berejiklian, premiê do estado de Nova Gales do Sul, que inclui Sydney. “Esperançosamente, 2021 será mais fácil para todos nós.”

No Reino Unido, onde uma variante altamente contagiosa do vírus está se espalhando e a maioria das pessoas está sob estritas restrições, as autoridades fizeram uma campanha de mensagens públicas em outdoors e na mídia pedindo às pessoas que “vejam o Ano Novo com segurança em casa”.

Barreiras foram erguidas em locais públicos como a Trafalgar Square e a perto do Parlamento em Londres.

Na Itália, o país europeu que viu mais mortes de Covid-19, bares, restaurantes e a maioria das lojas foram fechados, e há toque de recolher para a véspera de Ano Novo entre 22h e 7h.

O papa Francisco cancelou os planos de liderar as missas nesta quinta-feira e no dia 1º em razão de uma crise ciática.

Na França, onde o toque de recolher noturno também estará em vigor, não mais do que seis adultos poderão se reunir ao redor da mesa, mas haverá celebrações – pequenas, talvez, mas com estilo.

Em “A la Ville de Rodez”, uma delicatessen parisiense sofisticada, o gerente Brice Tapon preparava pacotes de foie gras, trufas e patê para grupos de dois ou três.

“Eu vou … me encher de foie gras, champanhe e toda essa comida”, disse Annie Chaplin, uma cliente. “E eu vou ficar em casa.”

Agência Brasil

Veja também

Mundo

Médicos russos decidiram transferir Alexei Navalny, principal líder de oposição da Rússia, a um hospital. A informação foi dada pela autoridade prisional do país nesta...

Mundo

O pequeno helicóptero espacial Ingenuity, da agência espacial norte-americana, a Nasa, subiu aos céus de Marte às 11h50 (horário de Lisboa). A manobra era esperada...

Mundo

John Kerry, ex-senador norte-americano e atual enviado especial para o Clima do gabinete do presidente Joe Biden, se manifestou hoje (16) sobre a carta...

Mundo

O diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom, disse hoje (16) que o número de novos casos de covid-19 por semana, em nível...