Fale conosco

O que vc está procurando?

Mundo

Justiça dos EUA absolve atirador que matou manifestantes em protesto

O caso ocorreu em agosto de 2020, em meio a terceira noite de protestos em Wisconsin

Justiça dos EUA absolve atirador que matou manifestantes em protesto
Quando recebeu a absolvição, o americano Rittenhouse começou a chorar no plenário (Créditos: Sean Krajacic - Pool/Getty Images)

O americano que matou duas pessoas e feriu outra durante um protesto antirracista nos Estado Unidos, Kyle Rittenhouse, foi inocentado hoje (19) de todas as acusações que tinha. Todos os 12 jurados no quarto dia de deliberação, consideraram o jovem de 18 anos “inocente” das cinco acusações que existia sobre ele, incluindo a de assassinato.

O caso ocorreu em agosto de 2020, em meio a terceira noite de protestos em Wisconsin. Os manifestantes protestavam contra a violenta abordagem policial a Jacob Blake, que ficou paralisado depois de ser atingido por no mínimo sete disparos.

Na época, Rittenhouse tinha 17 anos e usou um rifle semiautomático para atirar, matar e ferir pessoas que tentaram enfrentá-lo. Em um vídeo que foi divulgado pelo TMZ, mostra que logo depois dos disparos, carros da polícia passaram ao lado do jovem, que apenas levanta as mãos e continua seguindo pela rua. 

Segundo a defesa de Rittenhouse, o jovem era um adolescente “marcado pelo civismo” que foi a Kenosha se juntar a milícias armadas que, em suas palavras, estavam nas ruas portando armas de grosso calibre para proteger “propriedades privadas”.

Uma das vítimas foi baleada na cabeça e outra no peito, e uma terceira pessoa ficou ferida. Rittenhouse fugiu depois do tiroteio e foi preso na cidade onde nasceu, Antioch, no estado de Illinois.

Ele estava em julgamento por cinco acusações: duas de homicídio, uma de tentativa de homicídio e duas de pôr em risco a segurança de outros cidadãos, que poderiam levá-lo à prisão perpétua caso fossem confirmadas. Quando recebeu a absolvição,Rittenhouse começou a chorar no plenário. O processo polarizou a opinião pública dos EUA e deve ter repercussões no debate sobre o racismo na sociedade americana.

“Apesar da decisão consciente de Kyle Rittenhouse de viajar para outro estado, ferir uma pessoa e tirar as vidas de outras duas que protestavam contra os disparos contra Jacob Blake pela polícia, ele não foi responsabilizado por suas ações. Infelizmente, isso não nos surpreendeu”, apontou, no Twitter, a União Americana pelas Liberdades Civis.

“Lembra-se de Kyle Rittenhouse, de 17 anos, dos Estados Unidos, que não se permitiu ser morto pelos manifestantes “indignados”? Bem, ele foi considerado inocente de todas as acusações contra ele. Deus abençoe a legítima defesa. Quão grande é a América!”

Mais em Perfil

Últimas Notícias