Fale conosco

O que vc está procurando?

Saúde

Exposição a produtos químicos pode reduzir fertilidade?

Estudo feito com mulheres grávidas investigou como a exposição a produtos químicos presentes em alimentos e cosméticos afetou o número de óvulos

Exposição a produtos químicos na comida e em cosméticos pode reduzir fertilidade
(Crédito: Canva Fotos)

As taxas de natalidade estão diminuindo no mundo inteiro. Segundo reportagem da BBC, em todos os países europeus, os números estão ficando abaixo dos “níveis de reposição populacional”, ou seja, o número de filhos necessários por mulher para manter a população estável. Na China foi permitido que os casais tenham até três filhos depois que os dados do censo mostraram a queda na taxa de natalidade do país

A decisão de muitos adultos adiarem o primeiro filho ou escolherem efetivamente não ter filhos afetam esses números, mas recentes estudos sugerem que esse fator não é o único a explicar essa redução nas taxas de natalidade.

De acordo com a BBC, algumas pesquisas também apontam que a diminuição da fertilidade é um fator importante de contribuição para esse declínio.

E isso pode ser parcialmente explicado pela presença de produtos químicos industriais encontrados em nosso meio ambiente. Um estudo realizado recentemente procurou fazer descobrir como a exposição a contaminantes químicos comuns foi associada a contagens reduzidas de óvulos nos ovários de mulheres em idade reprodutiva.

Na matéria da BBC, é dito que embora essas substâncias químicas tenham sido proibidas, elas já foram usadas ​​em produtos de uso doméstico, como retardantes de chama e sprays contra mosquitos, e ainda estão presentes no meio ambiente e em alimentos, como peixes gordurosos.

Estudo

O estudo mediu níveis de 31 compostos químicos industriais comuns, como o HCB (fungicida agrícola) e o DDT (inseticida), no sangue de 60 mulheres.

Segundo a BBC, para avaliar a fertilidade, foi medido o número de óvulos imaturos presentes nesses ovários, contando os mesmos em amostras de tecido ovariano com o auxílio de um microscópio.

Como os ovários estão localizados dentro do corpo e seria necessário uma cirurgia para coletar as amostras, foram escolhidas mulheres grávidas que seriam submetidas a cesarianas, o que permitiu o acesso às amostras de tecido sem a necessidade de realizar outra cirurgia.

As mulheres com níveis mais altos de substâncias químicas em sua amostra sanguínea também tinham menos óvulos imaturos em seus ovários.

Foram encontradas conexões significativas entre o número reduzido de óvulos e certos compostos químicos, incluindo PCB (usado em fluidos de refrigeração), DDE (subproduto do DDT) e PBDE (retardante de chama).

O cálculo foi ajustado de acordo com a idade de cada mulher, ja que a fertilidade feminina depende da idade. E isso mostrou que a exposição a esses produtos químicos resultou em menos óvulos para mulheres de todas as idades.

De acordo com a BBC os produtos químicos tóxicos podem acelerar o desaparecimento dos folículos ovarianos, o que pode levar à redução da fertilidade e à menopausa precoce.

Exposição química

Todas as pessoas estão expostas a essas substâncias químicas industriais por vários meios. Sejam eles alimentos, produtos que passamos na pele ou até mesmo quando ainda estamos nos desenvolvendo no útero.

Uma nova pesquisa deveria ser realizada para investigar se a fertilidade de todas as mulheres, e não apenas das grávidas, é afetada da mesma forma por esses produtos químicos.

A BBC finalizou relatando que evitar certos alimentos como frutos do mar, e determinados produtos como os que são passados na pele e no cabelo, também pode ajudar a minimizar os efeitos negativos das substâncias químicas nas chances de se ter filhos.

Mais em Perfil

Últimas Notícias