Fale conosco

O que vc está procurando?

Saúde

Município de Serrana finaliza experimento de vacinação em massa e pretende se tornar modelo para todo o mundo

A cidade foi alvo de uma pesquisa inédita no país, que imunizou cerca de 60% de sua população por meio de um estudo clínico do Instituto Butantan

Município de Serrana finaliza experimento de vacinação em massa e pretende se tornar modelo para todo o mundo
Município de Serrana finaliza experimento de vacinação em massa e pretende se tornar modelo para todo o mundo (Canva Fotos)

Por Lilian Coelho

Município de Serrana, a 315 quilômetros de São Paulo, finaliza experimento de vacinação em massa e pretende se tornar modelo para todo o mundo 

Foi neste município, que tem cerca de 45 mil habitantes, que foi escolhido para o “Projeto S”, do Instituto Butantan, em parceria com a USP de Ribeirão Preto. 

 O objetivo era estudar a eficiência da CoronaVac. A pesquisa começou em fevereiro de 2020, quando a cidade enfrentava uma alta taxa de contágio por covid. De acordo com o prefeito, Léo Capitelli (MDB) foi escolhida para o estudo por ter apresentado dados preocupantes de transmissão: a cidade tinha 10,6% dos moradores infectados pela covid. Antes de iniciar o projeto, foi feito um mapeamento e coleta de dados, para evitar que moradores de outros municípios  fossem atraídos pela imunização em massa.  

Ele explica: “Fizemos um censo onde foi possível mapear a cidade e ter uma base de dados fidedigna. Quando anunciamos o projeto, ja existia o mapeamento da cidade e a base de dados pronta.”  

A conclusão da vacinação em massa ocorreu no último domingo (11/04). Em maio será apresentado um relatório do projeto, para avaliar a evolução dos moradores em relação à doença e os próximos passos.  

De acordo com Capitelli, “os primeiros resultados têm nos trazido otimismo e esperança. O fluxo de internação na UPA, na nossa Santa Casa, diminuiu. E vem a esperança de volta a um novo normal.”  

Com o fim do “Projeto S”, Serrana quer ser referência mundial:  “Vamos tratar com o governo do Estado para ter um protocolo organizado e replicar esse processo no Brasil e no mundo”, explica. 

*Este texto não reflete, necessariamente, a opinião da Perfil Brasil.