Fale conosco

O que vc está procurando?

Saúde

Ritmo de vacinação no Brasil cai 17% em maio

De acordo com UOL, o Brasil tem capacidade para vacinar cerca de 2,4 milhões de pessoas por dia, mas faltam imunizantes

Ritmo de vacinação no Brasil cai 17% em maio
(Crédito: Joe Raedle/Getty Images)

O ritmo de vacinação no Brasil caiu no mês de maio, segundo cálculo feito pelo portal UOL. O levantamento foi feito com base nos dados colhidos pelo consórcio da imprensa, e mostrou que os registros de doses aplicadas diariamente diminuiu em comparação com o mês de abril.

Os últimos acontecimentos no país, como o atraso dos devido a falta de insumo farmacêutico ativo (IFA), importado da China para a fabricação da CoronaVac, podem piorar a situação.

Até o dia 18 de maio, o país vacinou cerca de 681 mil pessoas por dia contra o covid-19 no mês. O número representa uma queda de 17% em relação a abril. No quarto mês do ano, a média foi de cerca de 822 mil pessoas recebendo a primeira ou a segunda dose por dia. De acordo com UOL, o Brasil tem capacidade para vacinar cerca de 2,4 milhões de pessoas por dia, mas faltam imunizantes.

Em entrevista para o UOL, o presidente do Conass (Conselho Nacional dos Secretários de Saúde), Carlos Lula, os dados geram preocupação. “A gente vai ter uma diminuição nesses números para patamares ainda menores. Vamos ter entrega do ministério nesta semana e não sabemos quando vai ter a próxima”, diz.

“E era para a gente estar acelerando o processo de vacinação.”

Culpa do governo?

Na semana passada o governador do estado de São Paulo, João Doria, culpou durante uma entrevista exclusiva à Rádio Bandeirantes no “Jornal Gente”, o Presidente Jair Bolsonaro e o ministro Paulo Guedes.

Segundo Doria, o material para a produção da CoronaVac estava na sede do laboratório Sinovac, em Pequim, e só havia sido enviado ainda ao Butantan por questões diplomáticas.

“O embarque já poderia ter sido feito no final do mês de abril. Dado aos ataques do presidente Jair Bolsonaro, dos filhos do presidente Bolsonaro e do ministro Paulo Guedes, houve um recuo do governo chinês para a liberação do embarque desses 10 mil litros de IFA para o Brasil”.

CPI da Covid

Em meio a situação de queda na vacinação e crescente número de vítimas do vírus, uma CPI foi criada para apurar ações e omissões do governo durante a pandemia.

Nest quarta-feira (19) e quinta-feira (20), o ex-ministro da saúde Eduardo Pazuello retomou o seu depoimento. Ele foi paralisado na tarde de ontem, depois que o ex-ministro passou mal. No 1º dia, senadores apontaram contradições e mentiras nos discursos de Pazuello.

Nos próximos dias o colegiado ouvirá Mayra Pinheiro, secretária do Ministério da Saúde.

Mais em Perfil

Últimas Notícias