Segurança nas Urnas

Ex-ministros do STF e empresários assinam carta em defesa da democracia

A carta reúne nomes reconhecidos de diversos campos da sociedade.

Ex-ministros do STF e empresários assinam carta em defesa da democracia
Fachada da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (Crédito: Marcos Santos/USP Imagens)

Ex-ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), empresários, banqueiros, artistas e acadêmicos assinaram uma carta em defesa da democracia depois das suspeitas levantadas, pelo presidente Jair Bolsonaro (PL), contra as urnas eletrônicas.

Publicidade

A carta foi divulgada nesta terça-feira (26) no site da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo, e diz que os recentes “ataques infundados e desacompanhados de provas questionam a lisura do processo eleitoral e o Estado Democrático de Direito tão duramente conquistado pela sociedade brasileira”.

Em um outro trecho, a carta alerta para o risco das suspeitas, que envolvem o processo eleitoral, para os “rumos do país nos próximos anos”:

“Ao invés de uma festa cívica, estamos passando por momento de imenso perigo para a normalidade democrática, risco às instituições da República e insinuações de desacato ao resultado das eleições.”

Entre os ex-ministros do STF que assinaram o documento estão nomes como Carlos Ayres Britto, Carlos Velloso, Celso de Mello, Cezar Peluso, Ellen Gracie, Eros Grau, Marco Aurélio Mello, Sepúlveda Pertence e Sydney Sanches.

Publicidade

Dentre os empresários que assinaram a carta em defesa da democracia estão Walter Schalka, presidente da Suzano; Roberto Setúbal, ex-presidente do Banco Itaú; Pedro Moreira Salles, presidente do conselho de administração do Itaú Unibanco; Pérsio Arida, ex-presidente do BNDES e do Banco Central, entre outros nomes.

Alguns outros nomes conhecidos também podem ser encontrados no documento. Artistas como Chico Buarque, Arnaldo Antunes, Alessandra Negrini e Debora Bloch apoiam as ideias descritas. Ex-jogadores como Walter Casagrande e Raí também assinaram a carta.

Publicidade