Distrito Federal

Menina de 10 anos volta à vida após 70 minutos de reanimação cardíaca

Lara Sousa sofreu um infarto enquanto se divertia em uma piscina; segundo relatos, ela começou a se afogar imediatamente após seu coração parar

Menina de 10 anos volta à vida após 70 minutos de reanimação cardíaca
Menina de 10 anos volta à vida após 70 minutos de reanimação cardíaca – Crédito: Reprodução

Lara Sousa, uma menina de 10 anos, sobreviveu a uma reanimação cardíaca que durou 70 minutos. O evento ocorreu no Hospital de Base do Distrito Federal (HBDF) em 9 de junho.

Publicidade

Lara, que aparentava ser uma criança completamente saudável, sofreu um infarto enquanto se divertia em uma piscina. Segundo relatos, ela começou a se afogar imediatamente após seu coração parar, criando um cenário de vida ou morte que exigiu uma resposta rápida e eficiente dos presentes e das equipes médicas.

Como a menina foi salva?

O incidente ocorreu enquanto a menina celebrava o aniversário de uma amiga. A rápida intervenção de uma técnica de enfermagem que estava no evento foi crucial, mas a situação se complicou quando se percebeu que era impossível realizar a respiração boca a boca devido ao travamento da mandíbula de Lara. A família e amigos imediatamente chamaram o serviço de emergência.

A corrida contra o tempo até o hospital

Após uma primeira tentativa falha de reanimação no local, Lara foi rapidamente transportada ao hospital local e, devido à falta de um leito de UTI disponível, teve que ser transferida ao HBDF. A mãe de Lara, Helen Sousa, descreveu o terror de acompanhar sua filha ao hospital, enquanto ela lutava entre a vida e a morte.

Nem me lembro direito o que passava na minha cabeça. Estava tão angustiada com aquilo. A imagem dela daquele jeito, tão perto de morrer, não sai da minha cabeça nem por um dia. Não consigo processar até agora tudo aquilo que aconteceu”, afirmou ao Metrópoles.

Publicidade

No HBDF, os médicos utilizaram todos os recursos disponíveis, incluindo um desfibrilador, para salvar a vida de Lara. O coração da menina não mostrava sinais de atividade, mas após persistirem por 70 minutos, os batimentos cardíacos de Lara foram recuperados.

Além disso, a pequena paciente passou por procedimentos para remover a água dos pulmões e foi mantida sob observação intensiva. Durante a estadia no hospital, foi descoberto que Lara tinha uma arritmia cardíaca previamente não diagnosticada, o que aumentou o risco de parada cardíaca.

A recuperação de Lara

Apesar dos desafios, Lara apresentou uma recuperação notável. Com quase um mês de internação, ela foi submetida a uma cirurgia pioneira no DF para receber um cardiodesfibrilador implantável. Este dispositivo é crucial para prevenir futuras ocorrências arrítmicas potencialmente fatais, já que pode corrigir irregularidades no ritmo cardíaco instantaneamente.

Publicidade

Ela ainda está muito assustada. Tem medo que as pessoas a toquem e tem estudado muito sobre seu tratamento. Até nos acostumarmos a essa vida nova, cada momento será um aprendizado”, disse a mãe.

Siga a gente no Google Notícias

Assine nossa newsletter

Cadastre-se para receber grátis o Menu Executivo Perfil Brasil, com todo conteúdo, análises e a cobertura mais completa.

Grátis em sua caixa de entrada. Pode cancelar quando quiser.