Diretores da Anvisa sofrem ameaças após autorizar uso da CoronaVac em crianças

Os funcionários receberam as ofensas por meio dos e-mails institucionais na própria quinta-feira (20), dia em que a Anvisa liberou a vacina para o público entre 6 e 17 anos

Vacina é a saída para evitar mortes
(Créditos: Rodrigo Paiva/Getty Images)

Após a aprovação do uso da vacina da CoronaVac para crianças e adolescentes de 6 a 17 anos, os diretores da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), sofreram ameaças e ofensas. As informações constam de reportagem publicada neste sábado (22) pelo jornal O Globo.

Publicidade

Conforme confirmado pelo órgão federal, os funcionários receberam as ameaças por meio dos e-mails institucionais na própria quinta-feira (20), dia em que a Anvisa aprovou o uso da vacina para as crianças. Inclusive, parte das mensagens foi enviada ao g1, de modo a confirmar os ataques.

Em uma das mensagens, uma pessoa se identifica como Nilza, e acusa os funcionários da agência de colocarem  “vidas inocentes numa grande roleta russa”. E disse ainda que servidores da agência serão vítimas de uma “maldição”: “(…) o preço a ser pago será terrível não quero estar na sua pele e oro a Deus em desfavor de todos que tem causado dor e sofrimentos ao seu próximo, lembre se o próximo pode ser dentro de sua família (sic.)”

Em outro e-mail em tom ameaçador, enviado às 14h de quinta-feira, a pessoa acusa os servidores de falta de “amor à pátria” e diz que “o preço que o servidor vai pagar será altíssimo”. “Com certeza não usará esse experimento nós filhos e netos de vcs” (sic.)”.

De acordo com O Globo, em live semanal no dia 16 de dezembro, Jair Bolsonaro, Presidente da República, ameaçou divulgar os nomes técnicos que aprovaram a vacina contra a Covid-19 da Pfizer para crianças de 5 a 11 anos.

Publicidade

“Não sei se são os diretores e o presidente que chegaram a essa conclusão ou é o tal do corpo técnico, mas, seja qual for, você tem o direito de saber o nome das pessoas que aprovaram aqui a vacina a partir dos cinco anos para o seu filho” disse Bolsonaro.

Desde então, técnicos e servidores da Anvisa vêm sofrendo ameaças e perseguições, por e-mails e nas redes sociais, devido a atuação da agência na vacinação dos menores. No total, os funcionários da agência já receberam mais de 300 e-mails com ameaças.

PF investiga ameaças

A polícia Federal, em dezembro do ano passado, abriu um inquérito para investigar o caso. O inquérito foi aberto no dia 15 de dezembro, um dia antes da Anvisa dar a autorização de vacinar contra a Covid-19 crianças de 5 a 11 anos, o que teria motivado as intensificações das ameaças.

Publicidade

O Ministério da Saúde anunciou, nesta sexta-feira (21), que vai utilizar as doses da CoronaVac na imunização de crianças e adolescentes.