Fábio Faria processa Ernesto Araújo por calúnia e difamação

Araújo afirmou que Fábio teria entregado o leilão do 5G para a China

fabio-faria-processa-ernesto-araujo-por-calunia-e-difamacao
O Ministro das Comunicações Fábio Faria gesticula durante uma coletiva de imprensa após um evento público para abrir o leilão de espectro 5G no país em 4 de novembro de 2021 em Brasília, Brasil. (Foto por Andressa Anholete/Getty Images)

O atual ministro das Comunicações, Fábio Faria, está processando o ex-ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, por injúria, calúnia e difamação. Os advogados do ministro das Comunicações afirmam que a imagem de Faria foi “severamente atingida” pela afirmação de Araújo de que o ministro teria entregado o leilão do 5G para a China.

Publicidade

A declaração de Araújo que motivou o processo foi feita no podcast ConservaTalk. A informação foi divulgada pelo colunista Lauro Jardim, do jornal O Globo.

No podcast, o ex-ministro diz que “o centrão acha que a política externa é fazer tudo o que a China quer” e cita três políticos que seriam responsáveis por isso. “Três pessoas que são chaves nisso: Ciro Nogueira, Fábio Faria, que entregou o 5G para a China, e Fábio Arruda”, disse.

Ernesto também afirma que não sabe “qual era o grau de interesse econômico que essas figuras têm com a China” e diz que, segundo ele, o PP (Partido Progressista) é o “partido de Pequim”. Porém, Fábio Faria é filiado ao PSD.

Os advogado de Faria, Ticiano Figueiredo e Pedro Ivo Velloso, afirmam que “é perceptível que as ofensas não continham nenhum cunho informativo” e foram ditas “com o nítido condão de violar a honra” do ministro.

Publicidade

“Tanto é assim, que o discurso de ódio do querelado restou desacompanhado de qualquer elemento informativo concreto que pudesse respaldar suas afirmações”, completou a defesa do caso que tramita na 7ª Vara Criminal de Brasília.

 O leilão do 5G foi realizado no ano passado após inúmeras idas e vindas. Ao final, as maiores operadoras de telefonia móvel do país, Claro, Vivo e Tim, arremataram as principais faixas do leilão elaborado pela Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações).