Perícia em parque aquático onde criança morreu é realizada pela polícia de Goiás

A criança caiu de uma altura de cerca de 15 metros, após subir em um toboágua isolado para manutenção

Perícia em parque aquático onde criança morreu é realizada pela polícia de Goiás
. A criança teria falecido no local em decorrência de múltiplas lesões e um traumatismo craniano seguido de afogamento (Créditos: Divulgação/ DiRoma Acqua Park)

Começou uma investigação por parte da Delegacia de Proteção à Criança e Adolescente (DPCA), de Caladas Novas, em Goiás, sobre a morte do menino de oito anos em um parque aquático da cidade. A polícia realizou uma perícia no local do acidente, nesta segunda-feira (14).

Publicidade

De acordo com informações do Corpo de Bombeiros, a criança caiu de uma altura de cerca de 15 metros, após subir em um toboágua isolado para manutenção. A criança teria falecido no local em decorrência de múltiplas lesões e um traumatismo craniano seguido de afogamento.

O acidente aconteceu na tarde de domingo (13). O menino recebeu os primeiros socorros dos guarda-vidas do parque até a chegada dos bombeiros mas não resistiu. A morte foi confirmada às 19 horas pela equipe médica do hospital para onde o menino foi levado.

Segundo a Polícia Civil de Goiás, a primeira perícia foi feita no domingo (13), assim como a autópsia, seguida de liberação do corpo do menor. Responsável pelo parque aquático, o Grupo DiRoma, afirmou que a área do brinquedo onde aconteceu o acidente estava “completamente fechada com tapume e devidamente sinalizada para reforma e melhorias”. Seguindo o comunicado, todos os alvarás e licenças para o funcionamento do espaço estariam em dia.

Kleber Marra, prefeito de Caldas novas, se manifestou em uma publicação nas redes sociais: “Eu e a primeira-dama Márcia Marra, nos solidarizamos com os pais e familiares neste momento de profunda dor. Todo acolhimento está sendo prestado por nossas equipes, também consternadas pelo ocorrido. Que Deus dê o conforto necessário neste momento!”

Publicidade