Senado inaugura memorial às vítimas da Covid

A homenagem foi um pedido dos senadores que compuseram a CPI da Covid

senado-inaugura-memorial-as-vitimas-da-covid
O local escolhido para o tributo às vítimas fica próximo ao auditório Petrônio Portella, em um anexo do Senado. (Crédito: Reprodução/Redes Sociais)

O Senado Federal inaugurou nesta terça-feira (15) um memorial às vítimas da Covid-19 no Brasil. O monumento será permanente e está localizado acima de um auditório do parlamento.

Publicidade

O memorial é composto por 27 prismas iluminados internamente, que representam os estados brasileiros e o Distrito Federal.

A homenagem foi um pedido da CPI da Covid, que investigou as ações e omissões do governo federal frente à pandemia. Até esta segunda-feira (14), o país contabilizava 638.913 mortos pelo vírus.

Rodrigo Pacheco (PSD-MG), presidente do Senado, agradeceu os profissionais de saúde, que ajudaram a evitar um número maior de vítimas da Covid.

“Todos têm lembranças de algum familiar, amigo, vizinho, do qual se despediu em razão da Covid-19. Graças a eles muitos infectados não serão homenageados, porque se recuperaram e venceram a Covid. A todos os profissionais da saúde, os nossos agradecimentos”, disse.

Publicidade

Membros da CPI da Covid participaram da inauguração do monumento e cobraram respostas de instituições e órgãos públicos sobre os pedidos de indiciamento incluídos no relatório final da investigação.

“O que aconteceu foi um morticínio em curso. As responsabilidades, se exige que os órgãos apurem“, afirmou o vice-presidente da CPI, Randolfe Rodrigues (Rede-AP).

Renan Calheiros (MDB-AL), relator da CPI, classificou como “surreal” a conclusão da Polícia Federal de que o presidente Jair Bolsonaro (PL) não cometeu crime de prevaricação ao deixar de pedir investigação sobre as irregularidades apontadas pelos irmãos Miranda na negociação da vacina Covaxin.

Publicidade