TSE divulga informações enviadas às Forças Armadas sobre sistema eleitoral

Após vazamentos parciais, Corte decidiu divulgar íntegra do conteúdo

tse-desiste-de-ue-como-observadora-das-eleicoes-e-culpa-itamaraty
As eleições de 2022 ocorrerão no dia 2 de outubro. (Crédito: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) divulgou nesta quarta-feira (16) as respostas encaminhadas para as Forças Armadas sobre o processo eletrônico de votação.

Publicidade

Em uma transmissão ao vivo realizada na semana passada, o presidente Jair Bolsonaro (PL) afirmou que o TSE estava evitando responder perguntas feitas pelo Exército que apontariam “vulnerabilidades” nas urnas eletrônicas.

Inicialmente, a Comissão de Transparência Eleitoral do TSE determinou que as respostas enviadas às Forças Armadas deveriam permanecer sob sigilo. Contudo, após vazamentos parciais do documento, a Corte decidiu divulgar o conteúdo na íntegra.

Em entrevista ao programa “Em Foco”, da GloboNews, o ministro Luís Roberto Barroso se disse “espantado” com o vazamento das respostas.

“Eu fiquei muito espantado de ver numa ‘live’ do presidente ele divulgando fatos que deveriam ter sido mantidos em reserva, porque essa era a palavra empenhada. Quando o presidente começa a divulgar, ele começa a mentir. Porque, na verdade, só havia perguntas técnicas. Como funciona isso, como funciona aquilo, quantas barreiras? E nós respondemos tudo. As perguntas vieram sob sigilo. A resposta foi sob sigilo. E aqui do TSE não vaza nada. Nós temos palavra”, afirmou Barroso.

Publicidade

Bolsonaro falou sobre as respostas enviadas pelo TSE às Forças Armadas, durante entrevista à rádio Jovem Pan.

“Estou aguardando — todo o Brasil está aguardando — o que as Forças Armadas dirão sobre a resposta do TSE. Se procede, se o TSE tem razão ou se não tem razão e o porquê”, declarou o presidente.

Barroso despede-se nesta quinta-feira (17) do Plenário do Tribunal. O ministro do Supremo Edson Fachin assumirá a presidência da Corte até 17 de agosto.

Publicidade