Imagens de satélite mostram comboio russo perto de Kiev

A Ucrânia tem sido atacada desde a noite de quarta-feira (23) por mísseis russos.

imagens-satélite
Imagem: Maxar Technologie

Novas imagens de satélite tiradas no domingo (27) mostram tropas da Rússia se aproximando da capital Kiev. As fotos feitas pela empresa americana Maxar Technologies e publicadas pelo site de notícias UOL mostram um comboio russo de cinco quilômetros de comprimento em uma estrada, a cerca de 60 quilômetros da cidade. 

Publicidade

A Ucrânia tem sido atacada desde a noite de quarta-feira (23) por mísseis russos. Desde esta data, as tropas de Vladimir Putin se aproximam da capital ucraniana.

De acordo com a agência de notícias Associated Press, o prefeito de Kiev, Vitali Klitschko, já reconheceu que a cidade estava cercada pelos militares russos. 

Russos entram na segunda maior cidade da Ucrânia

Também neste domingo (27), as tropas da Rússia entraram na cidade de Kharkiv, segunda maior da Ucrânia, com pouco mais de 1 milhão e 400 mil habitantes. Kharkiv é um importante polo industrial, científico e cultural. Por ter uma importante conexão de estradas e estar muito perto da fronteira com a Rússia, a cidade é considerada estratégica neste conflito. 

Publicidade

O exército ucraniano disse que os soldados russos enfrentaram resistência dos militares ucranianos que protegem a cidade. Autoridades locais informaram à agência Reuters que conseguiram expulsar os militares inimigos da região.  

Saiba o que está acontecendo na Ucrânia

Um dos fatores que desencadeou o conflito foi a possibilidade da Ucrânia entrar na OTAN, aliança militar do Ocidente. Putin não admite a possibilidade e exige que a Ucrânia se comprometa a nunca entrar na organização. 

Publicidade

Depois de quatro dias de duros confrontos militares, comitivas dos dois países aceitaram negociar uma possível saída da guerra. 

A ministra das Relações Exteriores britânica, Liz Truss, declarou que é contra estas negociações enquanto a Rússia estiver com tropas na Ucrânia. Ela fez esse comentário à rede britânica Sky News. 

Publicidade