Escolas municipais de SP não exigem vacina contra Covid

Alguns protocolos sanitários como o uso de máscaras, serão essenciais

escolas-municipais-de-sp-nao-exigem-vacina-contra-covid
Apresentar o comprovante de vacinação não será necessário (Crédito: Canva)

As escolas municipais de São Paulo não exigirão a vacina contra Covid. Segundo a Secretaria Municipal da Educação de São Paulo não será exigido o certificado de vacinação contra a Covid-19 para o retorno das aulas presenciais, que começam no dia 7 de fevereiro. A não apresentação do documento não impedirá que os alunos assistam aula.

Publicidade

Mesmo que as unidades escolares no momento da matrícula ou rematrícula peça a carteirinha de vacinação, não será obrigatório. No entanto, os alunos serão incentivados a realizarem a imunização. A secretaria destacou, que pais com filhos entre 5 a 11 anos serão orientados a aderirem à campanha de vacinação.

Os protocolos sanitários também serão reestabelecidos. A aferição de temperatura, uso de máscara e higienização das mãos como o uso de álcool gel, serão mantidos nas escolas. A secretaria informou que o investimento foi de mais de R$ 30 milhões em mais de 142 milhões de máscaras descartáveis e álcool em gel para distribuição nas unidades escolares.

Para que todos os protocolos sejam cumpridos, as escolas contarão com o apoio de mulheres entre 18 e 50 anos, moradoras da capital, que tenha filho matriculado na rede municipal de ensino para ajudar nos cumprimentos sanitários. Essas mulheres, recebem um benefício de R$ 1.155 mensais. As aulas das crianças nas escolas municipais, voltam no dia 7 de fevereiro e vai até 22 de dezembro sem ser necessária a vacina contra a Covid-19.