Kremlin rebate Bach que criticou reação “fria” de técnica de Valieva

Thomas Bach, presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), também disse que ficou consternado com a dura reação de sua treinadora e pediu aos governos que analisem o papel das comitivas em torno de jovens atletas

kremlin-rebate-bach-que-criticou-reacao-“fria”-de-tecnica-de-valieva

O Kremlin respondeu nesta sexta-feira (18) aos comentários do presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), Thomas Bach, que disse ter ficado “incomodado” ao ver a jovem patinadora russa Kamila Valieva desmoronar diante da grande pressão e criticou a técnica da jovem patinadora de 15 anos por sua reação “fria”.

Publicidade

Em uma coletiva de imprensa nesta sexta-feira (18), Bach afirmou que ficou “incomodado” ao ver a atuação repleta de erros de Valieva que a deixou em quarto lugar na prova individual feminina na noite de quinta-feira (17) nos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim.

Bach também disse que ficou consternado com a dura reação de sua treinadora e pediu aos governos que analisem o papel das comitivas em torno de jovens atletas.

O Kremlin revidou dizendo que a rigidez da técnica de Valieva rendeu medalhas.

“Thomas Bach é uma pessoa com muita autoridade no mundo dos esportes. É claro que respeitamos sua opinião, mas não necessariamente concordamos com ele”, disse o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, a repórteres em uma teleconferência na sexta-feira (18). “Ele não gosta da rigidez de nossos treinadores, mas todos sabem que a rigidez de um treinador no esporte de alto nível é fundamental para que seus atletas alcancem vitórias”. “E estamos vendo que os atletas estão conquistando vitórias. Então, vamos nos orgulhar de nossos vencedores, parabenizar nossos medalhistas. Valieva foi a quarta, mas no esporte de alto nível, a mais forte vence.”

Publicidade

A jovem de 15 anos teve teste antidoping positivo no campeonato nacional em dezembro passado, mas o resultado só foi revelado em 8 de fevereiro, um dia depois de Valieva já ter ajudado o Comitê Olímpico Russo (ROC) a vencer o evento por equipes em Pequim.

Ela foi liberada para competir no evento individual, apesar de um escândalo de doping pairando sobre ela e os Jogos.

* É proibida a reprodução deste conteúdo.

Publicidade

(Agência Brasil)