Valieva domina prova individual nos Jogos de Inverno apesar de doping

Por dois minutos e 40 segundos, milhões de pessoas assistiram todos os seus movimentos

valieva-domina-prova-individual-nos-jogos-de-inverno-apesar-de-doping
Kamila Valieva (Crédito: Agência Brasil)

A adolescente russa Kamila Valieva dominou o gelo olímpico na noite desta terça-feira (15), segurando as lágrimas enquanto completou a rotina que a colocou no topo da classificação, mesmo com uma nuvem de doping sobre sua cabeça.

Publicidade

A atleta de 15 anos se envolveu em um escândalo de doping na Olimpíada de Inverno de Pequim, mas foi aplaudida pelo público ao pisar no gelo pela primeira vez desde a notícia de seu teste positivo.

Por dois minutos e 40 segundos, milhões de pessoas assistiram todos os seus movimentos e a música, In Memoriam de Kirill Richter, quase foi abafada pelos cliques das câmeras fotográficas.

Valieva testou positivo para um medicamento para problemas cardíacos proibido para atletas após o campeonato nacional russo no dia 25 de dezembro, mas o resultado não havia sido revelado até o dia 8 de fevereiro, após ela e seus colegas do Comitê Olímpico Russo completarem a competição por equipes em Pequim.

Após encantar os fãs com uma rotina quase perfeita no dia 7 de fevereiro, o número desta terça-feira (15) começou de maneira mais acidentada.

Publicidade

Era esperado que Valieva executasse três saltos triplos em altura. Mas diante de sua treinadora Eteri Tutberidze e do médico Filipp Shvetsky, que agora estão em foco, ela teve dificuldades no Axel triplo de abertura, depois de cair duas vezes ao tentar o salto durante os treinos da tarde. Valieva, usando um vestido roxo com cristais encrustados, completou a combinação com o triplo Lutz, mas sua pontuação de 82,16 foi bem abaixo dos 90,18 que conseguiu no evento por equipes.

Seu domínio é tão grande, no entanto, que a pontuação ainda assim a colocou à frente da colega russa Anna Scherbakova, atual campeã mundial, que pontuou 80,20, e da terceira colocada Kaori Sakamoto, do Japão, com 79,84.

“Esses (últimos) dias foram muito difíceis para mim”, disse a jovem de 15 anos ao Channel One, da Rússia, em suas primeiras declarações sobre a situação. É como se eu não tivesse mais nenhuma emoção. Estou feliz, mas ao mesmo tempo estou emocionalmente cansada.”

Publicidade

* É proibida a reprodução deste conteúdo.

(Agência Brasil)

Publicidade