Briga entre herdeiros força leilão de mansão em Roma

*Por Ernest Ise – Editor-chefe do Diário Perfil

Briga entre herdeiros força leilão de mansão em Roma
Mansão “Villa Aurora” que será vendida por US$ 427 milhões (Crédito: Divulgação/ villaludovisi.org)

Uma viúva e seus três enteados encerraram uma briga entre herdeiros de longa data e leiloaram a mansão “Villa Aurora” por US$ 427 milhões, em Roma, na Itália. Dentro há um valioso afresco de Caravaggio, uma escultura de Michelangelo e até um telescópio de Galileo Galilei.

Publicidade

Uma mansão romana com uma história, extensos jardins e obras de arte, uma viúva com um passado colorido enfrentando três enteados em uma disputa que, como dizem algumas críticas, transformam a série de sucesso “Sucessão” em uma mera brincadeira de criança. Villa Aurora – a mansão – é o epicentro desta rixa familiar cujo rosto visível é a viúva Rita Carpenter, uma americana que se casou novamente com um príncipe italiano e foi renomeada Princesa Rita Boncompagni Ludivisi.

A tensão sem fim com os filhos do marido, falecido em 2018, levou a necessidade de que o imóvel fosse leiloado por um valor que o tornou o mais caro da Europa. E se conseguir um novo proprietário, será a transação imobiliária mais cara do mundo, ultrapassando os 361 milhões de dólares pagos por um imóvel em Hong Kong em 2017. Esta vila romana foi leiloada por 534 milhões de dólares, por caixa, cerca de 55.723.095.866 pesos. No momento não havia ofertas, então seu leilão foi estendido até abril próximo com um desconto de 20%, ou seja, 427,2 milhões de dólares.

“Caravaggio pintou um grande afresco nesta vila romana em 1597 e isso elevou seu preço de venda em vários milhões.”

Publicidade

A Villa Aurora foi construída no terreno outrora ocupado pela casa de Júlio César, o mítico imperador romano. Seu primeiro proprietário foi o Cardeal Francesco Maria del Monte e, no início, a propriedade tinha uma extensão de trinta hectares, que no final do século XIX foram subdivididos devido à localização privilegiada. A vila fica a metros da Via Veneto e mesmo em uma fração de seus ainda grandes jardins foi construído o famoso hotel Eden. Mas são sobretudo os detalhes do interior da mansão que a tornam tão especial. Acima de tudo, e é o que se aponta como o pormenor que eleva o valor do imóvel a essa figura milionária, um mural que Caravaggio pintou em 1597 no teto de uma sala situada no primeiro andar e que, diz o seu proprietário, o Cardeal Francesco usou para suas práticas como alquimista. A obra chama-se “Júpiter, Netuno e Plutão” e tem uma dimensão de quase três metros.

Mas esse não é o único tesouro escondido atrás dos muros altos de Villa Aurora. Há um telescópio doado por Galileu Galilei aos Ludovisi – sogros da viúva – que compraram a propriedade em 1621. Há também afrescos pintados pelo barroco Guercino e painéis com as assinaturas de Paul Bril, Domenichino e Gian Battista Viola. Também uma escada em caracol e uma área superior da casa é obra do arquiteto Carlo Maderno, responsável pelo projeto da fachada da Basílica de São Pedro. E também em uma área dos jardins há uma escultura de Michelangelo. Como o imóvel é um espaço protegido pelo Ministério da Cultura, o Estado italiano tem a opção de se tornar licitante – e comprá-lo – assim que um particular fizer uma oferta específica para a Villa Aurora. De fato, há uma semana, mais de trinta e cinco mil italianos assinaram um pedido para que o governo pague pela propriedade e, assim, a passe ao patrimônio cultural da Itália.

Antes de virar princesa, Rita também posou nua para a Playboy

Embora, diga-se, os títulos nobres italianos não sejam listados como seus pares europeus, muitas vezes devido à sua origem duvidosa, eles ainda são decorativos mesmo em um mundo onde as monarquias têm uma imagem mais próxima da decadência do que da exemplaridade. A viúva e rosto desta versão real de “Succession” tornou-se uma “principessa” quando se casou com o príncipe Nicolo em 2003.

Publicidade

Rita Carpenter nasceu no Texas em uma família rica que se dedicava à exploração de petróleo. Ela era casada com John W. Jenrette, um legislador da Carolina do Sul (EUA) que acabou na prisão por um caso de suborno e conspiração. Separada, ela se desenvolveu como atriz e até criou um escândalo na década de 1980 ao posar nua para a Playboy sob o título “Libertando a Mulher do Congressista”.

No início de 2002, por meio de amigos em comum, conheceu o príncipe Nicolo em Nova York. Ela deixou de atuar e se dedicou ao setor imobiliário. Eles se casaram e Rita, já princesa, ficou viúva em 2018. O casal não morava em Villa Aurora, aliás, ela disse que incentivou o marido a restaurá-la e assim a partir de 2010 foi aberta ao público, foi até alojamento para estudantes de história e para pequenos passeios privados. E até Madonna ficou lá em uma de suas turnês europeias.

*Este texto não reflete, necessariamente, a opinião da Perfil Brasil.

Publicidade

*Texto publicado originalmente no site Perfil Argentina.