Expansão do Bloco

Rússia apoia a entrada da Argentina no Brics

Em sua solicitação, o presidente argentino destacou que a “cooperação” entre os países pode ser uma saída para o que chamou de “ordem mundial em benefício de poucos”.

Rússia apoia a entrada da Argentina no Brics
O Brics foi fundado em 2009 sem a África do Sul, que entrou em 2011 (Crédito: Sergey Guneev/Host Photo Agency/Ria Novosti via Getty Images)

A Rússia declarou que apoia a entra da Argentina no Brics, bloco formado pro Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul. Na última sexta-feira (24) o presidente da Argentina, Alberto Fernández, solicitou a adesão de seu país ao bloco.

Publicidade

Em sua solicitação, o presidente argentino destacou que a “cooperação” entre os países pode ser uma saída para o que chamou de “ordem mundial em benefício de poucos”:

“O Brics é uma excelente alternativa de cooperação para meu país diante de uma ordem mundial que vem funcionando para o benefício de poucos”, disse Alberto Fernández em carta endereçada aos países do Brics.

Yuri Ushakov, assessor do presidente russo Vladimir Putin, disse nesta segunda (27) que o Kremlin enxerga com “bons olhos a questão de uma possível expansão do bloco”, mas completou dizendo que a solicitação tem que ser avaliada cuidadosamente:

“Sabem, em geral vemos com bons olhos a questão de uma possível expansão da organização, embora entendamos que é preciso examinar o problema muito, muito atentamente. É por isso que propomos, antes de mais nada, determinar os procedimentos e requisitos para possíveis candidatos ao Brics.”

Publicidade

O presidente Jair Bolsonaro (PL), quando se encontrou com Putin, discutiu sobre a possível entrada da Argentina no Brics e acenou negativamente, segundo o Itamaraty. Alberto Fernández é aliado de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) na América do Sul. Já o ministro da Economia, Paulo Guedes, recentemente defendeu a entrada do país vizinho no Banco do Brics.

 

 

Publicidade