HOMEM ARMADO

PF detém dois homens por ofensa a Alckmin e desacato

De acordo com os policiais, um dos homens estava armado e a dupla foi encaminhada à Superintendência da PF no Disitrito Federal sendo liberados mais tarde.

pf-deteve-dois-homens-por-ofensa-a-alckmin-e-desacato
Vice-presidente foi abordado quando chegava a hotel em Brasília (Crédito: Agência Brasil)

Agentes da Polícia Federal (PF) que fazem a segurança do vice-presidente eleito detiveram dois homens por ofensa a Geraldo Alckmin (PSB) e desacato. O episódio ocorreu na noite da última quarta-feira (23) quando Alckmin chegava ao hotel onde está hospedado em Brasília e foi abordado pela dupla.

Publicidade

Os homens foram presos por desacato aos policiais. De acordo com a equipe de segurança, um deles estava armado enquanto se identificava como agente aposentado da PF.

Segundo apuração da Folha, o depoimento de um dos policiais revelou que o homem identificado como Rosemário Queiroz deferiu ofensa a Alckmin dizendo que o vice-presidente eleito era uma “vergonha“.

Os agentes tentaram afastar Rosemário que reagiu e defendeu que tinha “liberdade de expressão“. Em seguida, o homem chamou o policial federal de vagabundo por estar “defendendo um ladrão“.

Ainda no depoimento do policial, um amigo de Rosemário apareceu depois que a PF já havia controlado a situação. Alcides Frederico Moraes Werner estava “visivelmente armado“.

Publicidade

O segundo homem então questionou “Polícia Federal é o caralh*, eu que sou policial“, afirmando ser agente aposentado da PF. Teria dito ainda, que os policiais estavam errados ao “defender um ladrão” eleito por uma eleição fraudada. Ainda declarou que o vice e o presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT) “não subiriam a rampa” do Palácio do Planalto.

O policial ainda afirmou que foi necessário o “uso progressivo da força” mas que não foram sacadas armas de fogo.

A dupla usava camisetas da “União Patriotas do Brasil” e foi encaminhada para a Superintendência da PF no Distrito Federal e liberados.

Publicidade