Teresina tem longas filas em locais de vacinação contra a Covid por causa de indisponibilidade do ConecteSUS

O sistema de registro de vacinação parou de funcionar após ataque hacker na madrugada desta sexta-feira (10)

Teresina tem longas filas em locais de vacinação contra a Covid por causa de indisponibilidade do ConecteSUS
O novo aplicativo substituto solicita mais dados na hora do cadastro do que o sistema anterior, isso causa demora no atendimento e fila nos locais de vacinação contra a Covid (Crédito: Agência Brasil)

Os locais de vacinação contra a Covid em Teresina, Piauí, registraram longas filas e muitas reclamações nesta sexta-feira (10).  A Fundação Municipal de Saúde (FMS) usa um aplicativo alternativo para registrar as doses aplicadas, por causa da queda do sistema nacional de cadastro de vacinas devido a um ataque hacker.

Publicidade

O novo aplicativo substituto solicita mais dados na hora do cadastro do que o sistema anterior, isso causa demora no atendimento e fila nos locais de vacinação contra a Covid.

O site do Ministério da Saúde, o aplicativo e a página do ConecteSUS – plataforma que disponibiliza os comprovantes de vacinação contra a Covid-19 – sofreram um ataque de hackers na madrugada desta sexta-feira (10). O problema também afetou o sistema de notificação de casos da doença e o Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunização (SI-PNI).

Público-alvo da vacinação nesta sexta-feira (10) em Teresina:

  • 1ª dose adolescentes (12 a 17 anos)
  • 1ª dose adultos (18 anos ou mais)
  • 2ª dose de Pfizer (respeitando intervalo mínimo entre as doses de 3 semanas)
  • Dose de reforço (respeitando intervalo mínimo de 5 meses da última dose para público em geral e 28 dias para imunossuprimidos)
  • 2ª dose de Astrazeneca (respeitando intervalo mínimo de 4 semanas entre as doses)
  • 2ª dose de Coronavac (respeitando intervalo mínimo de 4 semanas entre as doses)