Lula diz ainda não discutir vice e elogia Alckmin: “nada que não possa ser reconciliado”

Segundo Lula, “não há nada que aconteceu entre mim e o Alckmin que não possa, sabe, ser reconciliado”.

Lula diz ainda não discutir vice e elogia Alckmin nada que não possa ser reconciliado
Créditos: Victor Moriyama/Getty Images

Embora não tenha confirmado oficialmente que será candidato à Presidência da República, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) não descartou hoje que o ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), possa vir a ser candidato a vice na sua eventual chapa ao Palácio do Planalto nas eleições de 2022.

Publicidade

Segundo Lula, “não há nada que aconteceu entre mim e o Alckmin que não possa, sabe, ser reconciliado“.

O ex presidente Lula foi questionado sobre uma possível parceria visando a vice presidência com Alckmin por uma jornalista em coletiva no Parlamento Europeu, em Bruxelas, na Bélgica, onde participa da Conferência de Alto Nível da América Latina, promovida pelo bloco social-democrata. A presidente do grupo social-democrata no Parlamento, Iratxe García Pérez, também participou da coletiva, mas não tratou de assuntos políticos internos do Brasil.

O vice é uma pessoa que tem que ser levada muito a sério na relação com o presidente, porque o vice pode ser presidente. Podem acontecer muitas coisas. E, depois, o vice tem que ser uma pessoa que soma com o presidente e não que diverge com o presidente. Tenho uma extraordinária relação de respeito com o Alckmin. Fui presidente quando ele foi governador. Conversamos muito. Não há nada que aconteceu entre mim e o Alckmin que não possa, sabe, ser reconciliado. Não há“, declarou Lula.

Ele chegou a dizer já ter “22 vices, oito ministros da Economia, quando nem decidi se vou ser candidato”, devido às possibilidades aventadas ao longo das últimas semanas.

Publicidade

Lula também voltou a criticar o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e medidas tomadas pelo atual governo, como a tentativa de privatização de estatais. Na sua avaliação, Bolsonaro representa hoje uma “peça importante na extrema-direita, fascista, nazista” e é uma “cópia malfeita” do ex-presidente dos Estados Unidos Donald Trump.