Após uma noite “calma”, autoridades de Kiev dizem que estão fortalecendo as defesas

Entretanto, as autoridades alertam que enquanto os combates continuam, os moradores devem permanecer em casa

apos-uma-noite-calma-autoridades-de-kiev-dizem-que-estao-fortalecendo-as-defesas
Tropas em Kiev (Créditos: Anastasia Vlasova/Getty Images)

O Conselho da cidade de Kiev disse nesta manhã de segunda-feira (28) que a capital ucraniana teve uma noite “calma” neste domingo (27). Entretanto, as autoridades alertam que enquanto os combates continuam, os moradores devem permanecer em casa.

Publicidade

“No geral, a noite passada foi calma, excluindo algumas brigas com grupos de sabotagem e reconhecimento. No entanto, a cidade estava ocupada preparando sua defesa. Veremos fortificações, armadilhas para tanques e outras estruturas defensivas que apareceram nas ruas de Kiev”, afirmou o Conselho através de um comunicado.

De acordo com o portal G1, as mercearias e transporte público na capital Kiev estão abertos desde às 8h, no horário local. O toque de recolher na cidade segue mantido entre as 22h e as 7h, também no horário local.

“Pedimos que unam forças e ajudem uns aos outros: perguntem aos seus vizinhos se eles precisam de ajuda, especialmente quando se trata de idosos ou famílias cujos parentes estão defendendo a Ucrânia. Cuidem dos apartamentos dos vizinhos que deixaram a cidade para evitar saques”, completou o Conselho de Kiev.

Entenda o conflito

Nesta quinta-feira (24), Vladimir Putin deu início ao conflito contra a Ucrânia ao bombardear regiões do país. A invasão contou com domínios por terra, mar e ar, após autorização do presidente russo.

Publicidade

Vladimir Putin não aceita que a Ucrânia faça parte da OTAN, uma aliança criada pelos Estados Unidos. O presidente não deseja que uma base inimiga seja estabelecida próxima a seu território, uma vez que a Ucrânia faz fronteira com a Rússia.

“Quem tentar inferir, ou ainda mais, criar ameaças para o nosso país e nosso povo, deve saber que a resposta da Rússia será imediata e levará a consequências como nunca antes experimentado na História”, afirmou Putin