Biden diz que líder do Estado Islâmico foi morto na Síria após ação dos EUA

As forças especiais dos EUA fizeram uma operação para capturar extremistas na região de Idlib, que está fora de controle do governo da Síria

Biden diz que líder do Estado Islâmico foi morto na Síria após ação dos EUA
Biden, afirmou que foi realizada uma “operação de contraterrorismo para proteger o povo americano e aliados” (Créditos: Mark Makela/Getty Images)

Abu Ibrahim al-Hashimi al-Qurayshi, líder do grupo extremista do Estado Islâmico, foi morto na Síria seu país de origem, após uma ação dos militares dos EUA, disse nesta quinta-feira (3), o presidente americano Joe Biden. Nenhum militar norte-americano se feriu.

Publicidade

As forças especiais dos EUA na noite desta quarta-feira (2), fizeram uma operação para capturar extremistas na região de Idlib, que está fora de controle do governo da Síria. A ação ocasionou em 13 mortes, entre elas civis, sendo quatro crianças e três mulheres.

O presidente Biden, afirmou em comunicado divulgado pela Casa Branca, que foi realizada uma “operação de contraterrorismo para proteger o povo americano e aliados”.

Sob minha direção, as forças militares dos EUA no noroeste da Síria realizaram com sucesso uma operação de contraterrorismo para proteger o povo americano e nossos aliados e tornar o mundo um lugar mais seguro”, diz a nota assinada por Biden. “Graças à habilidade e bravura de nossas Forças Armadas, tiramos do campo de batalha Abu Ibrahim al-Hashimi al-Qurayshi —o líder do ISIS.”

Desde a morte em outubro de 2019 de Abu Bakr Al Baghdadi, até então o líder do Estado Islâmico, essa ação das forças norte-americanas na Síria foi a maior, explicou o diretor do Observatório Sírio para os Direitos Humanos, Rami Abdel Rahman. A difícil guerra que vem assolando o país a muito tempo, com a presença de inúmeros grupos, que provocou desde 2011 quase 500 mil mortes.

Publicidade

“O presidente dos Estados Unidos, @Joe Biden, indicando que, através de um ataque das forças especiais dos EUA no noroeste da #Síria, eles conseguiram “eliminar o principal líder do grupo Estado Islâmico.”

Publicidade