cessar-fogo bilateral

Colômbia e rebeldes do ELN concordam em retomar negociações de paz

“Para o governo colombiano e o ELN, a participação da sociedade nesse processo é essencial nas mudanças que a Colômbia precisa para construir a paz”, afirmou o comunicado.

Colômbia e rebeldes do ELN concordam em retomar negociações de paz
(Crédito: Flickr)

O governo da Colômbia e o grupo de rebeldes de esquerda, Exército de Libertação Nacional (ELN), anunciaram que vão retomar as negociações de paz que foram suspensas em 2018, segundo o site Al Jazeera.

Publicidade

A informação foi divulgada em um comunicado nesta terça-feira (04), assinado pelos comandantes do ELN Antonio Garcia e Pablo Beltran. Além do alto comissário para a paz do país, Danilo Rueda.

“Para o governo colombiano e o ELN, a participação da sociedade nesse processo é essencial nas mudanças que a Colômbia precisa para construir a paz”, afirmou o comunicado.

De acordo com o Al Jazeera, ao ser questionado sobre a possibilidade de um cessar-fogo bilateral, Rueda disse que as partes ainda estão “em fase de construção de confiança” e que o que for combinado entre as partes será cumprido.

Na coletiva de imprensa que se seguiu ao encontro entre os dois lados, Rueda disse que o ELN mostrou mudanças de comportamento que permitiram ganhar a confiança do governo. Rueda disse que o grupo rebelde libertou reféns recentemente e reduziu os ataques contra os militares colombianos.

Publicidade

O ELN não divulgou detalhes sobre o que buscaria em troca de “abaixar” as armas. Mas o comandante Garcia deu a entender que o grupo buscava mudanças políticas e econômicas. “A maneira de buscar a paz não é apenas pensar em armas, mas atacar as raízes desse conflito que são a desigualdade e a falta de democracia”, disse Garcia.

“Delegações entre o ELN e a Colômbia anunciam os primeiros acordos desde a Venezuela. O primeiro comandante do Exército de Libertação Nacional, Antonio García, liderou o diálogo para chegar a um acordo de paz.”

Publicidade