Exército russo tenta se reagrupar na Ucrânia

Governo ucraniano afirmou que o reagrupamento das tropas russas serve para ”criar uma reserva e repor as perdas humanas, armas e equipamentos”

O exército russo não estão se retirando, mas se reagrupando na Ucrânia, afirmou o secretário-geral da OTAN, Jens Stoltenberg, nesta quinta-feira (31) durante coletiva de imprensa em Bruxelas. O movimento foi identificado pela inteligência do Reino Unido e dos Estados Unidos e também observado no campo de batalha pelas tropas ucranianas.

Publicidade

“De acordo com nossa inteligência, as unidades russas não estão se retirando, mas se reposicionando. A Rússia está tentando se reagrupar, reabastecer e reforçar sua ofensiva na região de Donbass”, disse Stoltenberg.

“Ao mesmo tempo, a Rússia mantém pressão sobre Kiev e outras cidades. Portanto, podemos esperar ações ofensivas adicionais, trazendo ainda mais sofrimento”, complementou.

Em comunicado, a Ucrânia afirmou que o reagrupamento do exército russo pode acontecer em Belarus e o deslocamento de equipamentos militares russos na região serve “provavelmente para reagrupar unidades, bem como para criar uma reserva e repor as perdas humanas, armas e equipamentos de grupos que operam na Ucrânia”.

O Ministério da Defesa do Reino Unido disse em comunicado divulgado na quarta-feira (30), que algumas unidades russas retornaram a Belarus após sofrerem perdas consideráveis no campo de batalha na Ucrânia. Belarus tem sido uma base e área de preparação para as forças militares russas.

Publicidade

A Rússia “provavelmente continuará a compensar sua capacidade reduzida de manobra terrestre por meio de ataques de artilharia em massa e mísseis”, disse a Defesa do Reino Unido.

O secretário de imprensa do Pentágono dos Estados Unidos, John Kirby, disse também na quarta-feira (30) que os EUA viram aproximadamente 20% das forças da Rússia se movendo contra o “reposicionamento” de Kiev, com algumas indo para Belarus.

Tradução do post da Agence France-Presse no Twitter: “As unidades russas não estão se retirando, mas se reposicionando. A Rússia está tentando reagrupar (suas forças), reabastecer e reforçar sua ofensiva na região de Donbass”, no leste da Ucrânia, declara o secretário-geral.

Publicidade