Comitê da ONU conclui que Moro violou garantias de Lula

No julgamento, o comitê da ONU concluiu que a conduta de Moro e atos públicos do ex-juiz federal e dos procuradores da operação violaram, ainda, o direito de Lula à presunção de inocência.

O ex-juiz e ex-ministro da Justiça, Sergio Moro (Crédito: Geraldo Magela/Agência Senado)

O Comitê de Direitos Humanos da ONU (Organização das Nações Unidas) concluiu  que o ex-juiz Sergio Moro foi parcial no julgamento dos processos contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). A decisão foi antecipada pelo jornalista Jamil Chade, do site UOL.

Publicidade

 

Publicidade

No julgamento, o comitê da ONU concluiu que a conduta de Moro e atos públicos do ex-juiz federal e dos procuradores da operação violaram, ainda, o direito de Lula à presunção de inocência.

“Embora os Estados tenham o dever de investigar e processar os atos de corrupção e manter a população informada, especialmente em relação a um ex-chefe de Estado, tais ações devem ser conduzidas de forma justa e respeitar as garantias do devido processo legal”, declarou o membro do Comitê Arif Bulkan.

O ex-juiz Sergio Moro concedeu entrevista coletiva nesta quinta-feira (28) e falou sobre decisão do Comitê:

Publicidade

“A base principal dessa decisão é o que foi decidido pelo Supremo Tribunal Federal na segunda turma, que considero um grande erro judiciário”.