Dia Internacional da Tolerância

‘A democracia é incompatível com atos de intolerância’, diz Rosa Weber

A presidente da Corte também citou as agressões verbais sofridas por ministros do STF nesta segunda-feira (14), em Nova York.

'A democracia é incompatível com atos de intolerância', diz Rosa Weber
Presidente do STF, ministra Rosa Weber (Crédito: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

A presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), a ministra Rosa Weber, abriu a sessão desta quarta-feira (16) defendendo a democracia e a tolerância no país. A presidente da Corte fez um discurso em referência ao Dia Internacional da Tolerância.

Publicidade

“A democracia é incompatível com atos de intolerância e violência, inclusive oral, contra qualquer cidadão”, afirmou Rosa Weber, que continuou citando trechos da Declaração de Princípios sobre a Tolerância, proposta pela Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO):

“A tolerância é harmonia na diferença, não é apenas um dever moral, como também uma exigência política. A tolerância é virtude que faz possível a paz e contribui para substituir a cultura da guerra pela cultura da paz.”

A ministra também citou as agressões verbais sofridas por ministros do STF nesta segunda-feira (14), em Nova York:

“Com o registro, cuja importância avulta nos tempos procelosos [tempestuosos] que estamos a viver e que me levaram, na última segunda-feira, dia 14, a reafirmar, em nota pública, que a democracia, fundada no pluralismo de ideias e opiniões a legitimar o dissenso se mostra absolutamente incompatível com atos de intolerância e violência, inclusive moral, contra qualquer cidadão.”

Publicidade

No feriado do dia 15 de novembro, feriado de Proclamação da República, manifestantes fizeram protestos por todo o país com palavras de ordem antidemocráticas.

 

 

Publicidade