Alexandre Ramagem, Mário Frias e Sérgio Camargo são exonerados pelo governo federal

Integrantes do primeiro escalão do governo deixaram seus cargos porque devem disputar as eleições de outubro

Alexandre Ramagem, Mário Frias e Sérgio Camargo são exonerados pelo governo federal
Dessas exonerações do governo federal, Frias é o único que já teve substituto apontado (Créditos: Andressa Anholete/Getty Images)

As exonerações de Alexandre Ramagem, Mário Frias e Sérgio Camargo, foram publicadas no Diário Oficial da União, nesta quinta-feira (31). Até então, Ramagem ocupava o cargo de diretor-geral da Abin (Agência Brasileira de Inteligência), Frias estava chefiando a Secretaria Especial de Cultura do Ministério do Turismo, e Camargo estava presidindo a Fundação Cultural Palmares. Todos deixaram seus cargos porque devem disputar as eleições de outubro.

Publicidade

Dessas exonerações do governo federal, Frias é o único que já teve substituto apontado. Em decreto, o presidente Jair Bolsonaro indicou Hélio Ferraz de Oliveira para o cargo, que até então estava trabalhando como secretário adjunto da pasta.

Ciro Nogueira, ministro da Casa Civil foi quem assinou a exoneração de Sérgio Camargo. Já a de Ramagem foi assinado por Bolsonaro e pelo ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), Augusto Heleno.

Sérgio Camargo publicou em seu Twitter, logo após ser exonerado, que pretende disputar um cargo de deputado federal por São Paulo. Ele afirmou que é filiado ao Partido Liberal (PL), o mesmo do presidente.

Dança das cadeiras em ministérios

Nesta quinta-feira (31), nove ministros deixaram seus cargos durante a cerimônia no Salão Nobre do Palácio do Planalto, às 10h. Todos devem concorrer nas eleições deste ano. A lei determina que integrantes do Executivo devem deixar as funções em até seis meses antes do pleito.

Os ministros partem para disputar cargos para governos de Estados, Senado e Câmara dos Deputados. A maioria será substituída por os atuais secretários-executivos. As exonerações, todas a pedido, foram publicadas no Diário Oficial da União (DOU) desta quinta-feira (31).

Publicidade

Os ministros exonerados são:

Damares Alves, do Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos;
Tarcísio de Freitas, da Infraestrutura;

Onyx Lorenzoni, do Trabalho e Previdência;

Marcos Pontes, da Ciência e Tecnologia;

Publicidade

Rogério Marinho, do Desenvolvimento Regional;

Tereza Cristina, da Agricultura;

Flávia Arruda, da Secretaria de Governo;

Publicidade

João Roma, da Cidadania;

Gilson Machado, do Turismo;

O possível indicado para vice-presidência na chapa de Jair Bolsonaro, é Braga Netto, e também deve deixar o governo em breve. Alexandre Ramgem delegado, chefe da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) é outro que deixou seu cargo. Ainda sem nomeação de substituo. O secretário especial da Cultura, Mário Frias, também teve exoneração publicada no DOU desta quinta.

Entre os novos ministros estão Ronaldo Bento, secretário de Assuntos Estratégicos, para substituir João Roma; Carlos Brito, presidente da Embratur, para ocupar o lugar de Gilson Machado; e Marcelo Sampaio, atual secretário-executivo da Infraestrutura, na vaga de Tarcísio de Freitas. No Ministério da Mulher, Cristiane Britto assume, atual chefe da Secretaria Nacional de Políticas para Mulheres.